CLASSIFICADOS
Página Inicial » Notícias » Comitê do comércio exterior regulamenta nome “Cachaça do Brasil”
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
Cachaca-Brasileira

Comitê do comércio exterior regulamenta nome “Cachaça do Brasil”

Cachaça com indicação geográfica ganha regulamento. Bebida reconhecida como tipicamente brasileira poderá conquistar mais mercados.

O Comitê Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou o regulamento de uso da indicação geográfica (IG) da cachaça, no último dia 27. O texto ainda vai ser publicado no Diário Oficial da União.

A IG da bebida foi criada por meio do Decreto Presidencial n° 4.062 de 2001. Ele estabelece que as expressões “cachaça”, “Brasil” e “cachaça do Brasil” somente sejam usadas pelos produtores estabelecidos no país. Mas até agora não havia regulamentação.

Pelo regulamento, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) terá 12 meses para fiscalizar os estabelecimentos que exportam a bebida (a contar da data de publicação no Diário Oficial da União). Já para os que vendem o produto no mercado interno o prazo será de 24 meses.

“O reconhecimento da marca cachaça vai valorizar o produto nacional no mercado externo”, diz o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Odilson Ribeiro e Silva.

O secretário diz que as negociações para que outros países reconheçam a bebida como tipicamente brasileira vão se intensificar a partir de agora. “Vamos debater o assunto na próxima reunião com a União Europeia, no fim de novembro”, informou. O México já reconheceu a cachaça como produto brasileiro.

As exportações brasileiras de cachaça chegaram a US$ 13 milhões em 2015.

O reconhecimento e a implementação da IG “cachaça” é um marco para o setor, que participou da elaboração do regulamento junto com o Mapa, com os ministérios da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e das Relações Exteriores e com o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

confinamento-Bovino2

Uso de substância antimicrobiana em rações animais é proibido

A importação e a fabricação da substância antimicrobiana sulfato de colistina – usada como aditivo ...

boi-gado-no-pasto-1

Amazônia pode criar 240 milhões de cabeças de gado sem desmatamento

Usando técnicas de criação sustentável e sem aumentar a área de pastagem, o rebanho bovino ...