CLASSIFICADOS
Página Inicial » Artigos » Conheça as vantagens de se criar gado Jersey, raça originária de uma pequena ilha no Canal da Mancha
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
Foto: Kátya Castro. Propriedade de Anselmo Warmling
Foto: Kátya Castro. Propriedade de Anselmo Warmling

Conheça as vantagens de se criar gado Jersey, raça originária de uma pequena ilha no Canal da Mancha

A RAÇA & ORIGEM

ilha de jersey

A Ilha de Jersey pertence à Coroa Britânica e fica entre a França e a Inglaterra

capa vaca jersey

  • Jersey é a raça bovina que tem sido criada em estado puro há mais tempo no mundo e a raça que mais manteve seu estado de pureza;
  • Este gado é originário da Ilha de Jersey, uma pequena ilha no Canal da Mancha (entre França e Inglaterra) com apenas 11.655 hectares;
  • A raça desenvolveu-se a partir do ano 1.100, adaptada às necessidades dos habitantes da ilha e à limitada produção de forrageiras;
  • Sua origem é um pouco controversa, mas presume-se que seja o resultado do cruzamento entre o gado negro da Bretanha o gado Vermelho da Normandia;
  • Mediante rigorosa seleção fixou-se um tipo uniforme (atual);
  • Da ilha, o Jersey se espalhou para todo o mundo com ótimos rebanhos desde a Dinamarca e a Nova Zelândia até o Canadá e os Estados, com presença forte na América Latina;
  • O rebanho mundial de gado Jersey é da ordem de 10 milhões de cabeças

O JERSEY NO BRASIL

Foto do Criatório de Pedras Altas

Foto do Criatório de Pedras Altas

No Brasil, o gado Jersey foi introduzido no Rio Grande do Sul pelo pecuarista Joaquim Francisco de Assis Brasil, que formou seu primeiro criatório na Granja de Pedras Altas, no então município de Herval (atualmente Pedras Altas), sobre o afixo Itaevaté (Pedras Altas em tupi-guarani). O primeiro lote de animais veio em 1896 da Granja de Windsor, pertencente à rainha Vitória da Inglaterra.

Posteriormente, vários criadores brasileiros importaram animais, sêmen e embriões de alguns dos principais criatórios de Jersey do mundo – notadamente dos Estados Unidos, do Canadá e da própria Ilha de Jersey – formando a base do grande rebanho brasileiro de gado Jersey. Hoje, a banco de dados da raça tem mais de 150.000 animais registrados.

Em 1930 a raça Jersey foi oficializada pelo Ministério da Agricultura do Brasil e, em 1938, foi criada a Associação de Criadores de Gado Jersey do Brasil, no Rio de Janeiro (atualmente a sede da associação é em São Paulo).

A raça Jersey está, há mais de 100 anos, fazendo história e sucesso no Brasil.

PORQUE JERSEY

O gado Jersey tem características únicas na produção de leite, tais como:

ALTA PRECOCIDADE E PROLIFICIDADE

  • Novilha tem 1º parto mais cedo => custo menor na 1ª lactação
  • Capacidade de reprodução (facilidade de parto e menor IEP)

LONGEVIDADE

  • Vida produtiva mais longa(retorno mais duradouro do investimento)
  • DUNCAN HIBRITE OF FAMILY HILL (343.620 Lbs em + de 20 anos)

ADAPTABILIDADE

  • Tolerância às diversas temperaturas; facilidade concepção e parto
  • Bom desempenho em sistemas confinados ou pastoreio

DOCILIDADE

  • Indubitavelmente a vaca mais dócil, menor tamanho, mais longeva
  • Manejo até por crianças

PESO EM LEITE OU EFICIÊNCIA

  • Produz mais de 12 vezes seu peso em leite / lactação
  • SUNNY KING BERNA (115.255 Kg de leite e 6.646 Kg Gordura – 32xPV)

RENTABILIDADE

  • Alta eficiência de conversão alimentar
  • Mais produção por área de forragem ( Produção Manutenção)

QUALIDADE DO LEITE

  • + Proteína + Cálcio (mineral essencial para os humanos)
  • + Sólidos não gordurosos (proteínas, vitaminas, minerais, etc)

CRUZAMENTOS

  • Jersey: criado em estado puro há mais tempo
  • Boa parição, tolerância ao calor e elevada produção leiteira e mantegueira
Características físicas do animal são bem singulares e de fácil indetificação

Características físicas do animal são bem singulares e de fácil indetificação

Entrevistamos Marcelo Xavier da Fazenda Ipiranga, em Loanda, que nos disse porque o produtor deve escolher o Jersey

Aqui na Fazenda Ipiranga, nós introduzimos o Jersey em 2003, quando iniciamos nosso projeto de pecuária leiteira. A raça Jersey foi escolhida de forma bastante natural, devido às suas inúmeras qualidades, que trazem vantagens aos produtores.

A precocidade dos animais faz que eles tenham seu primeiro parto mais cedo do que outras raças e isto gera um fluxo de receitas antecipadas ao produtor, uma vez que os animais entram em lactação muito cedo, com baixo custo de criação.

Outro fator importante é a longevidade da raça, os animais têm uma vida produtiva maior em comparação com outras raças. Isto se deve à baixa incidência de problemas do gado Jersey, que – por sua vez – está relacionado à sua grande adaptabilidade, tanto em climas mais frios quanto em climas mais quentes, de norte à sul deste imenso país.

Além disto, a incidência de doenças é menor para o gado Jersey. Os animais tem, por exemplo, cascos pretos, o que acaba diminuindo os problemas de casco, pois são cascos mais duros. As fêmeas Jersey são líderes em facilidade de parto entre todas as raças leiteiras e tem muito poucas doenças no periparto. Mastite, retenção de placenta, cetose, dentre outros, são  comuns no gado do leite, mas a raça Jersey tem uma incidência bem menor.

Por outro lado, a vaca Jersey é extremamente dócil e pode ser até manejado por crianças, mulheres.

Outro ponto importantíssimo que deve ser ressaltado é a qualidade do seu leite. Entre todas as raças leiteiras, a Jersey é a que tem o melhor leite, tanto para a produção industrial como para o consumo humano. E, desta forma, é um leite mais valorizado pelas indústrias, que pagam mais por essa qualidade, o que gera mais renda ao produtor.

Há ainda a questão ambiental. Os dados mostram que a raça Jersey é uma grande aliada da preservação ambiental e da conservação de recursos naturais. Segundo uma pesquisa inovadora da Dra. Jude Capper (Washigton State University), para a produção de queijo com a utilização de leite Jersey, obtem-se reduções substanciais no uso da terra e da água, no consumo de combustíveis fósseis, na quantidade de dejetos e na liberação de gases de efeito estufa.

Em resumo, o Gado Jersey tem seu primeiro parto antes, com um menor custo de produção, produzindo por muito tempo um leite de extrema qualidade, que é bastante valorizado pelas indústrias.

 

Reunindo todos esses fatores o gado Jersey gera mais rentabilidade ao produtor que optar pela raça.

vacas jersey traseira

Marcelo P. Xavier - Presidente da ACGJB

Marcelo P. Xavier – Presidente da ACGJB

A Fazenda Ipiranga, em Loanda (região noroeste do Estado do Paraná), é a casa do Jersey JOPX. Os primeiros animais foram cuidadosamente selecionados de vários criatórios importantes e renomados no Brasil no ano de 2003.

Venda permanente de matrizes e novilhas

fazendaipiranga.com.br

2 comentários

  1. Fazer uma reportagem para dar características de uma raça ,mas só falar dos pontos positivos e não dos negativos ,tem cara de matéria paga ,uma pena !

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

Foto: Fazenda Bergamini

Vermífugos na hora certa pode gerar ganhos de R$ 40 por cabeça

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita (Unesp) levantou um dado ...

bezerros nelore

Fazenda no Mato Grosso faz a desmama aos 100 dias de idade

O Nortão do MT exibia-se para Pedro e eu, agradecendo a chuva que acabara de ...