CLASSIFICADOS
Página Inicial » Notícias » 10 pontos importantes para monitorar o desempenho reprodutivo do rebanho
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
Curso de Inseminação Artificial

10 pontos importantes para monitorar o desempenho reprodutivo do rebanho

Sabemos que não podemos gerenciar o que não podemos medir. Hoje temos inúmeros protocolos para aplicarmos em nossos rebanhos, entretanto precisamos entender como medir o resultado e tomar decisões. Neste artigo iremos discutir os 10 parâmetros mais discutidos em programas de reprodução.

1 – Porcentagem do rebanho prenhe até 150 DEL – meta 75%

Se você quiser pegar um número como foco, pegue este. Este número te dá uma foto do desempenho reprodutivo do rebanho. Este parâmetro é importante, pois a produção de leite e sólidos cai com o avanço da lactação. Fatores que podem impactar este número são: erros no sistema de transição (pré e pós parto), baixa concepção, infertilidade, doenças, baixa taxa de inseminação ou detecção de cio.

Rebanhos comerciais com índices excepcionais em reprodução têm conseguido 89% dos animais prenhes até 150 DEL. Com um bom manejo nutricional e reprodutivo, 75% é uma meta realística.

“Para cada dia acima do DEL estabelecido com meta na fazenda você esta perdendo uma média de 100 ml de leite por vaca”, Dr. Mike Hutjens.

2 – Vacas aptas a serem inseminadas que não foram inseminadas – meta 0.

Não interessa o protocolo de inseminação determinado na fazenda, vacas aptas precisam ser inseminadas. Uma vaca que não foi inseminada nunca ficará prenha.

3 – Taxa de concepção por serviço e lactação.

Monitoramento mensal do primeiro serviço, segundo serviço e média de concepção para primíparas e multíparas podem revelar oportunidades para melhoras. Por exemplo, primíparas com ganho de peso diário baixo podem obter baixa taxa de concepção. Em multíparas, baixa taxa de concepção pode estar relacionada a problemas na transição.

Dados anuais de concepção de mais de 120.000 vacas holandesas em rebanhos com 500 a 2.000 vacas, mostram taxas de concepção de primíparas ao primeiro serviço de 47%, 39% no segundo serviço e 41% de média. Para vacas em segunda lactação em diante, esta taxa cai para 39% no primeiro serviço, 34% no segundo e 36% de média.

4 – Taxa de concepção mensal por tipo de inseminação.

Protocolos típicos em fazendas leiteiras são: inseminação com cio, primeira sincronização ou re-sincronização. Fertilidade da vaca e qualidade do sêmen são fatores importantes. Entretanto, protocolos atuais de reprodução podem melhorar a fertilidade como também fazer com que vacas em anestro ou com cisto voltem a ovular. Portanto estes programas tem potencial para melhorar a fertilidade.

Qual dos programas funciona melhor? Se você fizer uma comparação mensal por tipo de protocolo (cio, sincronização ou re-sincronização), você poderá determinar se algum deles esta abaixo do desejado.

5 – Risco de prenhes nas últimas três semanas (21 dias) – meta 28%.

Podemos alcançar estes números multiplicando a taxa de serviço pela taxa de concepção. Este número representa a efetividade do programa de reprodução para cada ciclo de 3 semanas. Atualmente, top 25% rebanhos Holandeses com 500 a 2000 vacas em lactação possuem uma média de 28% de risco de prenhes nas últimas três semanas.

6 – Porcentagem de novilhas inseminadas e prenhas entre 15 e 17 meses de idade.

Esta é uma medida geral de eficiência reprodutiva nas novilhas. Fatores como baixa capacidade de detecção de cio, baixo ganho de peso ou baixa fertilidade irão afetar este número. A demora em emprenhar novilhas resulta em menor lucro, pois aumenta o número de dias que as novilhas estão sendo alimentadas sem gerar faturamento (leite). Top 25% de rebanhos holandeses têm conseguido 97% de animais inseminados e 81% de animais prenhez entre 15 e 17 meses de idade.

7 – Taxa de serviço e concepção mensal em novilhas

A Associação de criadores de bezerras e novilhas dos EUA tem como meta 70% de taxa de concepção ao primeiro serviço em novilhas.

8 – Porcentagem de primíparas com mais de 24 meses de idade – meta menor do que 15%.

Este número representa a eficiência de todo o processo nutricional e reprodutivo da recria. Rebanhos no top 25% têm conseguido menos que 15% de primíparas com mais de 24 meses de idade.

9 – Porcentagem de aborto em primíparas e multíparas.

O termo aborto neste caso representa qualquer primípara ou multípara que estava prenha e agora esta vazia. Doenças, estresse (ambiente e manejo) e problemas nutricionais (micotoxinas) podem modificar este número. Taxas anuais para vacas holandesas de 9% de aborto e 3% para novilhas. Estes números incluem perdas embrionárias.

10 – Porcentagem de animais nascidos mortos – meta até 3%.

Este número pode ser alterado por práticas realizadas durante o parto, treinamento de pessoal, nutrição e ou doenças. Rebanhos com melhores números tem alcançado o máximo de 3% neste quesito.

Adaptado de: Top 10 parameters to monitor reproductive performance. Progressive dairy, janeiro 2016.

Marcelo Hentz Ramos – PhD / Diretor 3rlab

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

cafe rama vermelha

Café capixaba é eleito o melhor do Brasil pela Abic

O microlote do produtor José Alexandre Abreu de Lacerda recebeu a maior pontuação no júri ...

fazenda-sustentavel-vencedores-2016

Fazenda de Mato Grosso do Sul é a campeã da sustentabilidade

A Modelo II adotou integração lavoura-pecuária-floresta e foi a vencedora do prêmio Fazenda Sustentável 2016, ...