Paranaguá bate recorde no embarque de açúcar em um único navio

Paranaguá bate recorde no embarque de açúcar em um único navio

PARTILHAR

O Porto de Paranaguá (PR) bateu o recorde no embarque de açúcar em um único navio. Foram carregadas 62,6 mil toneladas do produto Mv Kyoto Star, de bandeira liberiana, superando em 19% o recorde anterior, de 2001, quando tinham sido embarcadas 52,5 mil toneladas em apenas um navio. O embarque, feito pela Bunge, tem como destino o Porto de Jebel Ali, nos Emirados Árabes Unidos.
Segundo a administração de Paranaguá, a operação só foi possível por conta dos recentes investimentos realizados em dragagem nos berços e no canal do porto, que aumentam o calado e permitem que os navios saiam com maior volume de carga.

“Nos últimos anos, promovemos um conjunto de campanhas contínuas de dragagem de manutenção que possibilitaram plena acessibilidade dos canais de navegação que anteriormente estavam assoreados”, afirma em nota o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino. Na última campanha, realizada neste ano, foram investidos R$ 156,9 milhões.

Redução no frete

A manutenção da profundidade do canal do Porto também só foi possível por conta da reforma do cais, que garantiu que a dragagem pudesse ser feita em todos os berços. Neste caso, o investimento foi de R$ 90 milhões.

“Os efeitos do aumento da tonelagem embarcada é a redução do frete marítimo. A economia pode chegar a 15% do valor até então praticado, trazendo melhores resultado aos exportadores. Quem ganha com esta economia em logística é o estado do Paraná”, diz Dividino.

As estatísticas mostram crescimento de 23% na movimentação de açúcar em Paranaguá neste ano. De janeiro a setembro deste ano foram exportados 3,36 milhões de toneladas do produto, 630 mil toneladas a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 2,73 milhões de toneladas.

O Porto de Paranaguá é o segundo no Brasil no raking de movimentação de açúcar, com média de 4,5 milhões de toneladas embarcadas por ano. Depois de um período sem embarcar o produto, o terminal de Antonina voltou a exportar em março do ano passado e foram exportadas até dezembro 47 mil toneladas. Em 2016, até o momento, o volume já dobrou: são 94 mil toneladas carregadas.

Autoria: Globo Rural

Deixar um comentário