CLASSIFICADOS
Página Inicial » Notícias » Projeto de Minas Gerais aproxima supermercados e pequenos agricultores para articular vendas
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
queijo canastra

Projeto de Minas Gerais aproxima supermercados e pequenos agricultores para articular vendas

Projeto do Governo de Minas Gerais aproxima redes de supermercados e pequenos agricultores para articular vendas no varejo.

Aquele queijo artesanal produzido em uma pequena fazenda mineira, o doce de goiaba elaborado por uma cooperativa familiar e outros produtos feitos por pequenos produtores poderão ganhar espaço nos supermercados em Minas Gerais. É esse o objetivo do Circuito Mineiro de Compras Sociais, que será realizado no dia 13 de setembro, na sede da Associação Mineira de Supermercados (Amis). O evento vai reunir em um mesmo espaço pequenos fornecedores e representantes de redes supermercadistas, com objetivo de articular e gerar novos negócios.

O encontro, realizado pela Amis, é inédito e conta com o apoio do Governo de Minas Gerais, que idealizou o projeto por meio do Fórum Permanente das Micro e Pequenas Empresas (Fopemimpe), da Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Sedif). O órgão também realiza a seleção dos fornecedores que irão participar do circuito em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (Seda) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).

“O produtor precisar saber como vender para um supermercado e também precisa ter essa oportunidade. Queremos, cada vez mais, ver produtos regionais de pequenos fornecedores, principalmente familiares, nas gôndolas das grandes redes”, diz o secretário da Sedif, Fábio Cherem.

Para ampliar os negócios entre pequenos produtores e representantes das grandes redes de supermercado, serão realizadas capacitações, workshops, palestras e mesas de debate. Haverá ainda um espaço exclusivo para exposição e degustação dos produtos, como queijos, doces, cosméticos e sorvetes.

“Levar produtos feitos em agroindústrias familiares para as grandes redes fortalece toda a cadeia produtiva. Não é apenas mais uma opção de compra para supermercadistas de todos os portes, mas também para o consumidor”, destacou o superintendente da Amis, Antônio Claret Nametala.

Oportunidade

A produtora de queijos, iogurtes, sorvetes e cosméticos à base do leite de cabra, Marli Alves da Silva é umas das pequenas empresas que serão beneficiadas pelo Circuito Mineiro de Compras Sociais. Na Fazenda Capril Santa Cecília, em Itaguara, a 97 km da capital mineira, ela dá continuidade a uma tradição familiar de atuação com leite. A produtora conta que seu sonho, hoje, é “ver meu produto à venda em grandes supermercados”.

Marli diz ainda que uma das maiores dificuldades de inserção do seu produto nos grandes mercados é a falta de visibilidade. Otimista, ela diz que já provou outras marcas mais famosas, mas acredita que o seu queijo poderia cair no gosto do público se fosse visto. “As pessoas querem provar algo diferente, mas se prendem ao tradicional por estarem mais visíveis”, garante.

Para fomentar a divulgação de mais produtores mineiros como Marli, o Circuito Mineiro de Compras Sociais irá selecionar, no dia 13 de setembro, 20 fornecedores entre os presentes para que participem de forma gratuita da 30ª edição da Superminas, maior feira supermercadista da América do Sul. “Espero que, por meio desse evento, possamos quebrar algumas dessas barreiras comerciais”, afirma Marli.

Contato

Os interessados em participar do encontro na sede da Amis (Rua Platina 33, bairro Prado, Belo Horizonte) devem entrar em contato com a Associação e se cadastrar até o dia 11 de setembro. O telefone de contato é (31) 2122-0546. Ao todo, poderão participar cerca de 100 produtores/fornecedores.

Fonte emater.mg.gov.br

2 comentários

  1. Olá gostem do site, gostaria de saber se posso anunciar meus fertilizantes, e quanto fica.
    Obrigado.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

Se for levado em conta o cenário do ano passado, somente 41% das propriedades rurais leiteiras do país produzirão a bebida dentro dos padrões legais determinados pelo Ministério da Agricultura, conforme aponta um estudo da Clínica do Leite/Esalq-USP. Foto: Divulgação

Preço do leite ao produtor recuou 11,7% em novembro

O preço médio do leite recebido pelo produtor recuou 11,7% em novembro, na comparação com ...

bezerrada curiosa

A hora certa de usar os vermífugos no gado

O sucesso da produção na pecuária bovina depende, entre outras coisas, de um bom manejo ...