CLASSIFICADOS
Página Inicial » Notícias » Sector mais importante da economia, conheça as muitas razões para investir na agricultura brasileira
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
agricultura20famiilar

Sector mais importante da economia, conheça as muitas razões para investir na agricultura brasileira

Muitas pessoas possuem receio em investir na agricultura, pois é um sector onde se encontram por vezes dificuldades, não só em produzir como também em escoar os produtos. Como a agricultura faz parte de um dos meus sectores preferidos para investir, pensei em criar uma lista com aspectos que de alguma forma podem fazer olhar para estes negócios de forma diferente.

Ao contrário do que se pensa o segredo da agricultura não reside na produção, este está localizado na comercialização. Do que interessa produzir 1000 litros de azeite se depois não se encontra compradores? É por este facto que muitos agricultores fracassam, fazem tudo bem, menos o marketing dos seus produtos que deveria conduzir ao escoamento e consequente recuperação do investimento. É necessário uma estratégia para desenvolver qualquer negócio.

Aspectos positivos no investimento na agricultura:

A primeira razão

A agricultura é o sector mais importante da economia.

Setor de duração infinita

A agricultura não é um negócio ou investimento de modas. Sempre existirá necessidade de alimentos, assim será haverá permanentemente oportunidades neste sector. Cada vez mais se vê negócios de ocasião e que não apresentam mais valias para a sociedade onde se inserem. Pelo contrário a agricultura, permite reduzir as importações, fornece estabilidade face ao exterior e torna os países independentes.

Agricultura de requinte

Mesmo não estando ainda convenientemente enraizada na cultura portuguesa, existe já a agricultura biológia onde são prelivigiados os processos artesanais de produção de alimentos sem recursos a fertilizantes industriais. Os produtos gourmet , a alta cozinha está cada vez mais em desenvolvimento. Ora, os alimentos de qualidade são também cada vez mais apreciados. É uma oportunidade para o futuro, do que é bom toda a gente gosta, mesmo que por vezes compre o que é barato.

Agricultura amadora

Qualquer pessoa pode ser agricultor, basta querer, não são necessários conhecimentos extraordinários para produzir alimentos. Obviamente é necessário saber, este conhecimento popular, corre até o risco de se perder. Podar uma arvore, é uma arte. Mas que todos podem aprender, que mais não seja através da experiência e da tentativa erro. Conhecer as dicas de quem trabalha no campo é  frutuoso.

Investimento reduzido em terrenos

Pode-se iniciar um negócio agrícola com pouco dinheiro, pois os terrenos agrícolas são muitas vezes abandonados no interior do país, e não há quem queira tratar dos mesmos. Este facto originou uma quebra no seu valor nos últimos anos. Como ninguém quer trabalhar no campo, a procura é diminuta o que fez/faz reduzir o valor dos terrenos.

Pode-se não precisar de possuir terrenos

Uma actividade muito próxima da agricultura, a apicultura pode ser desenvolvida em terrenos alheios. Mediante autorização dos proprietários dos terrenos ou em terrenos abandonados. Ser apicultor, ter colmeias e produzir mel. Pode muito bem ser uma óptima actividade para os fins de semana. Com o valor do litro de mel a rondar os 5€, basta produzir e vender 12.000 Litros para usufruir de uma rendimento bruto de 5000€/mês. Não me parece impossível.

Para se ser um grande produtor não precisa de muito

Por vezes pensa-se em produzir o que já existe muito, e esquecemo-nos de produzir o que tendo baixa procura é mais fácil liderar. Ser o maior produtor de hortelã, salsa, amoras, beterrabas, ervilhas, ou outro bem alimentar de baixa procura. Escolher o mercado certo também é importante. Ser o maior abre muitas portas.

A pecuária nem sempre é complicada

O setor da pecuária também inserido no sector primário da economia contudo possui várias condicionantes legais, mas para possuir um rebanho de ovelhas ou cabras e produzir leite, não conheço grandes entraves. Pode-se vender o leite a cooperativas ou utilizar o leite para produzir queijos. A lã das ovelhas também pode ser vendida. Já o abate de gado pode ser mais complicado.

Pode-se produzir e transformar

Produzir leite e transformar esse leite em queijos, produzir fruta e fazer compotas, produzir vinho, etc. Pode-se produzir e transformar, podendo aliar a produção ao produto final o que pode gerar uma mais valia, pela especialização e qualidade dos produtos. Aos produtos regionais é-lhe reconhecida qualidade e sabor. Tantas são as receitas para produzir o que quer que seja, que os produtos acabam por ser diferentes uns dos outros, basta lembrarmo-nos nos tipos de queijos que existem.

Investimento duradouro

Existem formas de fazer agricultura onde o investimento inicial pode ser substancial, contudo gera produção para o futuro. Por exemplo pomares. A manutenção de certas árvores de fruto é diminuta, sendo necessário pouco mais do que regar de vez em quando, lavrar e apanhar a fruta. Pode ser necessário algo mais, como podar as arvores e fertilizar as terras. Por vezes até arvores de fruto abandonadas produzem fruta.

Pode ser rentável

Como todos os negócios este é um sector que pode ser rentável. Se a agricultura de subsistência não gera rendimentos (produz-se para consumir), a especialização em determinada cultura ou nicho de mercado pode ser um caminho para tornar esta actividade rentável. Para ser rentável tem de se produzir na quantidade certa. Tal como em todos os negócios, é necessário uma estratégia para atingir o sucesso e a sustentabilidade económica da exploração agrícola. Procura pela produção existirá sempre, assim o foco é conseguer vender por um valor que proporcione rendimentos positivos.

Pode-se não precisar de rigorosamente nada

Actividades relacionadas com o campo e com a natureza, existem vários, por exemplo: todos os anos existe um negócio que consiste na apanha de cogumelos selvagens, onde os mesmos podem atingir valores de cerca de 30€ por kilo, muitos deles têm como destino a indústria farmacêutica. Encontrar e vender cogumelos é uma atividade que proporciona rendimentos esporádicos, sendo uma das actividades ligadas à terra que menos investimento comporta. Uma outra atividade que não necessita de investimento, é a apanha de medronhos selvagens, a aguardente de medronho é um produto de pode ser vendido por um bom valor.

Não precisa ser desenvolvido em tempo integral

Algumas culturas não necessitam de acompanhamento constante, podendo estas atividades ser desenvolvidas por exemplo aos fins de semana. Quando se reside nas imediações da exploração agrícola pode-se utilizar o tempo disponível para dedicar às atividades necessárias para produzir o que se deseja. Mesmo quem não reside nas proximidades dos terrenos a explorar existem soluções ou alternativas consoante o que se quer produzir. Existem epocas para determinadas culturas. Por exemplo a apanha das azeitonas, em meados de Novembro. Seja para produzir azeite ou para azeitonas de conserva. E proque não produzir produtos de beleza com base em azeitona. Quase que apostava que as azeitonas tem características ímpares para certas patologias.

É saúdável

A vida no campo e em contacto com a natureza é saudável, respirar ar puro, viver sem stress são outros dos benefícios em trabalhar a terra, até mais do que um negócio, a agricultura é cada vez mais um estilo de vida. Um modo de viver, que obviamente nem todas as pessoas gostam, mas não deixa de ser uma razão para viver a vida mais lentamente.

Autor Nuno Casimiro em investidor.pt

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

carcacas de carne

China importa volume recorde de carnes e deve manter ritmo em 2017

A importação de carnes pela China está alcançando níveis recordes devido a problemas internos de ...

touros

Déficit de touros dificulta produtividade na pecuária

Atualmente a demanda nacional de touros é de 300 cabeças por ano. Carregamos a meta ...