CLASSIFICADOS
Página Inicial » Artigos » Saiba o que siginificam IATF, PO, POI, FIV, CEIP, HPB e outras
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
marcas gado 1

Saiba o que siginificam IATF, PO, POI, FIV, CEIP, HPB e outras

Gado PO

O animal PO – Puro de Origem, é aquele animal que possui registro de uma associação e, portanto, tem sua genealogia conhecida e está dentro dos PADRÕES RACIAIS exigidos por esta associação de criadores.

gado po

São siglas para os termos puro de origem (PO), livro aberto (LA), puro por cruza (PC), puro por cruza de origem desconhecida (PCOD), puro por cruza de origem conhecida (PCOC), puro sintético (PS) e puro de origem importada (POI), respectivamente.

Em geral, as associações de criadores registram os seus animais nos livros PO e LA, como é o caso da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Para o animal ser registrado como PO, a associação exige ascendentes de origem conhecida desde que se fechou o livro de registro, em 1971. No livro aberto (LA), são incluídos os animais puros por cruzamento (PC), que atendem ao padrão da raça.

Gado POI

Até o final da década de 1990, na ABCZ, acasalamentos de animais PO com LA só dariam produtos PO após a quarta geração. Hoje, aceitam-se animais da segunda geração na categoria PO. O termo POI, por sua vez, é de apelo apenas comercial e usado para designar animais descendentes 100% de ancestrais importados. Não é reconhecido pela ABCZ, tendo em vista restrições legais de importação.

marca ceipGado CEIP

Uma importante ferramenta para identificar no universo da pecuária nacional a superioridade de um animal. Assim caracteriza-se o CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção). O objetivo é distinguir quais machos e fêmeas, independente da sua respectiva categoria, são realmente animais melhoradores.

Gado FIV

A Fertilização In Vitro em Bovinos. A produção in vitro de embriões é uma biotecnologia caracterizada pela recuperação e maturação dos oócitos colhidos de doadoras, pela fertilização dos oócitos maturados e pelo subseqüente cultivo in vitro dos embriões produzidos.

Protocolo IATF

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) é uma técnica desenvolvida para suprir as deficiências da inseminação artificial tradicional, que são as falhas de detecção de cios e a incapacidade de atingir fêmeas em anestro.

A IATF é aplicada no rebanho através do uso de fármacos capazes de controlar e sincronizar o ciclo estral e a ovulação das vacas, de modo que, se possa inseminar essas fêmeas em horários pré-determinados e com boas taxas de concepção. Sendo também capaz de trazer fêmeas em anestro à ciclicidade (com a inclusão do hormônio eCG nos protocolos de IATF).

Este é um exemplo do ciclo usando IATF:

iatf grafico

Gado leiteiro

HPB: significa, geralmente, Holandês preto e branco;

HVB: é, geralmente, Holandês vermelho e branco (variedades da raça);

PC: quer dizer puro por cruza, significa que cinco gerações atrás um dos ascendentes não era da mesma raça, mas os descendentes foram sendo cruzados com animais puros, aumentando o grau de sangue até 31/32 avos;

Marca da Brucelose V0 … V9

marca para brucelose 3É obrigatória a vacinação de todas as fêmeas daquelas espécies, entre 3 e 8 meses de idade, com amostra B19. Para induzir imunidade ou proteção contra a doença e diminuir a prevalência da brucelose bovina e bubalina. Quanto maior for o número de fêmeas vacinadas, maior será a imunidade do rebanho, menor o número de animais suscetíveis e menor a possibilidade de difusão da doença.

As bezerras deverão ser marcadas a ferro candente com a letra V, acompanhada do algarismo final do ano da vacinação, no lado esquerdo da cara.

Exemplo: estamos em 2016, será V6

As fêmeas destinadas ao registro genealógico, quando devidamente identificadas, ou aquelas identificadas individualmente por sistema aprovado pelo MAPA, ficam excluídas da obrigatoriedade da marcação a fogo, sendo que, nesse caso, deverá ser utilizado modelo específico de atestado de vacinação.

Tradicional “Carangueijo”

marcas caranguejo 2Ao longo das últimas décadas, muitas foram as transformações vivenciadas pela pecuária brasileira. A ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu) acompanhou esta evolução. Nestes últimos anos, o tradicional “carangueijo”, marca registrada da ABCZ, sob domínio da ABCZ foi estampado mais de 17 milhões de zebuínos (Fonte: ABCZ, 2014) em todo o país, como um sinônimo de padronização e qualidade do rebanho nacional. O que muita gente não sabe é que esta marca tão característica, está presente na história da ABCZ, desde a criação da Sociedade Rural do Triângulo Mineiro, em 1934.

marcas caranguejo 1

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

Foto: Fazenda Bergamini

Vermífugos na hora certa pode gerar ganhos de R$ 40 por cabeça

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita (Unesp) levantou um dado ...

bezerros nelore

Fazenda no Mato Grosso faz a desmama aos 100 dias de idade

O Nortão do MT exibia-se para Pedro e eu, agradecendo a chuva que acabara de ...