Enquanto Rússia deixa de comprar, China reforça aquisições

Enquanto Rússia deixa de comprar, China reforça aquisições

PARTILHAR
Mercado-Aves-e-suínos
Foto: Divulgação

A Rússia, que havia embargado a compra de carne suína brasileira oriunda de alguns frigoríficos em dezembro de 2017, interrompeu as aquisições da proteína em janeiro.

Por outro lado, a China, que havia reduzido as compras da carne suína brasileira em 2017, adquiriu 5,74 mil toneladas (ou 73,4%) a mais em janeiro/18 em relação a dezembro/17.

De acordo com colaboradores do Cepea, o desempenho ainda fraco das exportações têm prejudicado o mercado doméstico, que sente dificuldades em gerenciar a maior disponibilidade de carne.

Neste início de ano, a demanda interna retraída se mantém, resultando em pressões de compradores para redução de preços do animal e das carcaças.

Fonte: Cepea

-- conteúdo relacionado --
Fábrica de ração para pets: gera 150 empregos e mo... Serão 2,6 mil de toneladas consumidas por mês, além de 1,1 mil (t) de farinhas de origem animal, para a fabricação de 4 mil toneladas/mês de ração A ...
África do Sul autoriza importação de colágeno bovi... O mercado global, estimado em 2016, em US$ 3,71 bilhões, deve alcançar US$ 6,63 bilhões até 2025 As autoridades sanitárias do Ministério da Agricultu...

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com