Invasão indígena na Funai acaba em morte

Invasão indígena na Funai acaba em morte

PARTILHAR
Terra Indígena Kawahiva do Rio Pardo está localizada em Colniza (MT); foto tirada em 2015 — Foto: Jair Candor/Funai

Grupo de índios teria invadido a sede do órgão e atirado contra funcionários, que reagiram e acabaram matando um homem da etnia tenharim

Indígenas atacaram a sede da Fundação Nacional do Índio (Funai), em Colniza (MT). A base fica localizada próxima à terra da comunidade Kawahiva do Rio Pardo. A ação acabou com a morte de um índio. A Polícia Federal faz perícia no local nesta sexta-feira, dia 12.

A situação ocorreu na quarta, dia 10, e foi divulgada pelo Ministério Público Federal (MPF) nesta quinta, dia 11. De acordo com o comando da Polícia Militar na região, os indígenas teriam invadido a unidade atirando e quebrando cadeados.

O motivo do conflito seria a reivindicação de uma terra na região. De acordo com a PM, o grupo atacou a base da Funai, e em seguida, teria ocorrido um tiroteio, resultando na morte do indígena da etnia tenharim identificado como Erivelton, de 44 anos. Outro índio também foi ferido no local, porém não há informações sobre seu estado de saúde.

O MPF, declarou que abriu processo para apurar o conflito envolvendo os indígenas.

Em nota, a Funai também se manifestou sobre o ocorrido.

“A Fundação Nacional do Índio está acompanhando de perto junto às forças policiais o que, ao que tudo indica, parece ter sido um ataque feito por indígenas aos servidores da Funai, na Base de Proteção Etnoambiental localizada na terra indígena Kawahiwa do Rio Pardo, onde há presença confirmada de índios isolados. Informamos que esta fundação está pronta a cooperar naquilo que for necessário.”

Informações demoram a chegar

Colniza é um município no noroeste do estado, mil quilômetros distante da capital, Cuiabá, e a base da Funai fica ainda mais distante, a 120 quilômetros da área urbana da cidade. Por lá, a comunicação é difícil, o que explica a demora das informações.

Índios invadem fazenda e fazem reféns

Fonte: Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com