Ações da Epamig popularizam cultivo e consumo de hortaliças

PARTILHAR
hortaliças
Foto: Divulgação

Na Zona da Mata, atividades nas Escolas Famílias Agrícolas ajudam no resgate de espécies tradicionais

Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) tem intensificado, nos últimos dez anos, os trabalhos e a difusão de conhecimentos sobre o cultivo e o consumo de hortaliças e plantas alimentícias não-convencionais. As ações, que durante a fase mais aguda da pandemia foram apenas virtuais, têm sido retomadas em eventos presenciais voltados para estudantes e agricultores familiares.

Desde 2006, a Epamig é parceira das Escolas Famílias Agrícolas (EFAs), na Zona da Mata, desenvolvendo projetos de pesquisa e extensão e contribuindo para a formação técnica e sociocultural em comunidades rurais. “O aprendizado, a divulgação e as ações práticas pelos jovens das escolas famílias agrícolas e das universidades têm sido formas importantes de resgate das plantas à medida que os alunos atuam como multiplicadores, junto às famílias e aos agricultores familiares”, avalia a pesquisadora da Epamig Maria Regina Miranda.

De acordo com Maria Regina, as ações têm como foco os filhos de agricultores familiares, mas se estendem à população em geral. “Essa mobilização incluiu, mais recentemente, o reconhecimento das plantas alimentícias não-convencionais (Panc) como integrantes da cultura popular, além de destacar seu papel na melhoria da saúde da população, e promover a inserção de Panc nas hortas escolares e o incremento de renda para agricultores familiares”, afirma.

A pesquisadora destaca, ainda, a consolidação da parceria entre entidades da região da Zona da Mata, como a Emater-MG e o Centro de Tecnologias Alternativas, além de escolas locais. “Essa união fortalece as ações para valorização e o reconhecimento da cultura popular, do uso de sementes crioulas e da produção sem agrotóxicos, além de contribuir para a discussão de temas como soberania, segurança alimentar e a importância da mulher no meio rural”, acrescenta. 

Feira de troca

Dentre as ações realizadas estão feiras e oficinas para a troca de conhecimentos e a difusão de tecnologias. Recentemente, a Epamig participou da 1ª Feira Cultural de Troca de Sementes, no município de Diogo Vasconcelos. Na ocasião, foram distribuídas publicações sobre hortaliças Panc, além de sementes, mudas e estacas de diversas espécies como araruta, bertalha, dente-de-leão, couve-cravinho, peixinho-da-horta, capuchinha e ora-pro-nobis.

Em novembro, a horta da Casa Cultural das Pérolas Negras, em Viçosa, foi reestruturada por meio do projeto Panc com Fartura, orientado por Maria Regina Miranda. Após o preparo dos canteiros, foram plantadas 50 mudas de diversas espécies. Também houve uma oficina para crianças, educadoras e cozinheiras que tratou da importância das Panc e dos cuidados desde o plantio.A pesquisadora destaca que eventos como esse permitem maior interação com agricultores, feirantes e moradores locais.  

Fonte: Agência Minas

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR