Alta do milho não deve impactar confinamento

Alta do milho não deve impactar confinamento

PARTILHAR
Confinamento Boitel VFL Brasil
Foto: Boitel VFL Brasil

FNP mantém previsão de aumento de 7% no confinamento de bovinos no Brasil este ano. Número de animais confinados representa 5,5% do gado abatido.

A recente alta no preço do milho no mercado internacional, com reflexos no mercado interno brasileiro, não deve atrapalhar as intenções de confinamento no país.

É o que avalia a consultoria Informa FNP, que mesmo após as mudanças no cenário internacional de oferta de grãos, manteve sua projeção de um crescimento de 7% no confinamento de bovinos no Brasil este ano.

“A despeito dos preços [do milho] estarem firmes num período de chegada do pico da colheita, a demanda externa pela nossa carne tem garantido excelentes relações de troca e isso pode significar aumento do abate para todas as variedades”, ressalta Vitor Belasco, analista de grãos da consultoria.

Segundo Belasco, mesmo com a quebra esperada na produção dos EUA e do consumo recorde de milho no Brasil esperada para a safra 2018/19, os preços do grão ainda estão em patamares inferiores aos observados no ano passado, quando a safra brasileira sofreu quebra de produção devido a problemas climáticos.

“Mesmo que os EUA produzam uma quantidade bastante inferior ao que eles costumam produzir e falam com que os demandantes internacionais se desloquem para o mercado brasileiro, há o fato de a Argentina também estar com uma produção recorde, o que faz com que a demanda externa seja atendida por mais players”, explica o analista.

Confira a entrevista completa no vídeo abaixo:

Fonte: Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.