Arroba bate R$ 210 e fecha em clima de natal, confira!

Arroba bate R$ 210 e fecha em clima de natal, confira!

PARTILHAR
Foto Divulgação

Na Rancharia/SP, ocorreu um negócio ao redor de R$ 210,00/@, à prazo com dez dias para pagar e com data para abater em 03 de janeiro. Confira as outras praças!

A maioria das indústrias frigoríficas paralisou as operações para o período de recesso do fim de ano e, com os atuais patamares de preços, não está ocorrendo novos negócios. As preocupações com a demanda Chinesa levou muitas plantas a optarem por diminuir o volume de abates diários.

Os pecuaristas ainda detêm algum lote remanescente de boiada pronta no campo, após o acúmulo de quedas das cotações saíram das vendas. “O movimento de fortes correções de preços resultou no atual quadro de escassez de oferta de boiada e ajuda a conter uma queda mais acentuada no valor da arroba”, destacou a Informa Economics FNP.

Na Rancharia/SP, ocorreu um negócio ao redor de R$ 210,00/@, à prazo com dez dias para pagar e com data para abater em 03 de janeiro.

A consultoria Agrifatto apontou em seu relatório que as indústrias que dispõem de escalas até a semana do Natal, poderão intercalar ou realocar seus trabalhados durante a semana entre o Natal e o Ano Novo.

“As escalas médias de abate em Goiás, São Paulo e Mato Grosso estão mais confortáveis, com as programações girando em torno dos 7, 8 e 9 dias úteis, respectivamente. No Mato Grosso do Sul e em Minas Gerais, as indústrias trabalham com aproximadamente 5 dias úteis”, informou. 

O analista de Mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira, destacou que as cotações do mercado do boi estão em um ponto de equilibro. “Nós estamos passando por um final de ano com uma ausência da demanda da China. Além disso, a alta da carne ficou muito exposta na mídia e isso dificultou o escoamento no mercado interno”, afirmou.

No aplicativo Agrobrazil, os participantes informaram negócios na região de Nova Andradina/MS de R$ 195,00/@, à vista e com data para o abate em 31 de dezembro. Na localidade de Sonora/MS, o valor negociado para o boi com padrão exportação foi de R$ 196,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data para o abate em 27 de dezembro.

Em Agudos/SP, o valor negociado para o animal comum foi de R$ 205,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data para o abate em 06 de janeiro. Na Rancharia/SP, ocorreu um negócio ao redor de R$ 210,00/@, à prazo com dez dias para pagar e com data para abater em 03 de janeiro.

De acordo com o boletim matinal da Radar Investimentos, o mercado físico esteve praticamente vazio de negócios durante esta semana em São Paulo. “A volatilidade dos preços é comum, pois o intervalo das tentativas de compra é grande. No mercado atacadista, as vendas no mercado interno foram maiores frente às duas semanas anteriores”, ressaltou.

Atacado

No atacado, os preços da carne bovina ficaram estáveis. “A reposição entre atacado e varejo evoluiu de maneira lenta, avaliando que as grandes redes varejistas já têm estabelecido o planejamento para a última semana do ano. A expectativa gira agora no ritmo de negócios no varejo no curto prazo, que tende a ser aquecida, favorecida pelas festividades, entrada de bonificações e do décimo terceiro na economia. 

Após a virada de ano, o perfil da demanda tende a mudar, avaliando que as famílias assumem despesas adicionais, característico de um primeiro trimestre” disse Maia. O corte traseiro teve preço de R$ 15,80 por quilo. A ponta de agulha seguiu  em R$ 11,10 por quilo, mesmo preço do corte dianteiro.

B3

Na Bolsa Brasileira (B3), as cotações futuras do boi gordo terminaram a sessão desta sexta-feira (20) em campo misto. O vencimento Dezembro/19 encerrou precificado a R$ 203,60/@ com uma queda de 0,27%. O contrato Janeiro/20 registrou um avanço de 0,20% e está cotado a R$ 199,00/@. O Fevereiro/20 teve um recuo de 1,24% e foi negociado a R$ 198,40/@.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com