Arroba bate R$ 342,00 em disparada recorde, segura peão!

PARTILHAR
@estanciabahialeiloes

Arroba em alto patamar traz uma grande expectativa para o próximo ano, com preços encerrando o último dia útil com recorde de preço em negociações pontuais.

No fechamento do último dia útil do ano, 30, o boi-China está cotado em até R$ 342/@ nas praças do interior paulista, enquanto os poucos negócios envolvendo o abastecimento do mercado interno giram em R$ 320-35/@, segundo dados das consultorias do setor. A lacuna na oferta de gado terminado continua a ser o principal fator de sustentação dos preços. Confira abaixo o fechamento e o recorde de preço atingido!

De maneira geral, o mercado atuou de forma mais calma nesta quinta-feira, com as escalas de abate da maior parte dos frigoríficos completas para a primeira semana de janeiro. Além disso, grande parte dos pecuaristas já não está mais atuando no mercado desde a véspera de natal.

Segundo as consultorias, de forma generalizada, os preços da arroba são negociados acima de R$ 310,00/@, desde que a China retornou as compras no Brasil. Atualmente, na praça paulista, os preços da arroba estão sendo negociados entre R$ 320,00 e R$342,00. Confira!

O preço do Indicador do Boi Gordo/CEPEA, bateu novo recorde, assim como nos últimos três fechamentos. Sendo assim com uma nova alta de 0,19% a arroba saltou de R$ 335,85/@ para o valor de R$ 336,50/@. A alta já acumula uma valorização mensal de 4,41%. Ainda segundo os dados, as cotações apontam para uma alta de mais de R$ 32,00/@ no mês de dezembro. Veja o gráfico!

As negociações para bovinos até quatro dentes, o “boi China”, negócios seguem firmes com valores de até R$342,00/@. Segundo o app da Agrobrazil, os pecuaristas de Presidente Prudente/SP, venderam seus lotes por R$ 342,00/@ com pagamento em 7 dias e abate para o dia 06 de janeiro de 2022, veja imagem abaixo.

Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 339,69/@, na quinta-feira (30/12), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 311,86/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 316,87@. E em Mato Grosso, a média fechou cotada a R$ 314,29/@.

Segundo os dados divulgados diariamente pela Scot Consultoria, a vaca gorda em R$302,00/@ e a novilha gorda em R$317,00/@, preços brutos e a prazo.

Na avaliação da IHS Markit, três principais fatores explicam os preços firmes da arroba bovina

  • a enorme escassez de oferta de boiadas gordas,
  • o aumento do consumo doméstico de carne bovina (estimulado pelas festividades de final de ano)
  • o avanço das exportações da proteína (estimuladas pelo retorno das vendas ao mercado chinês)

“O ambiente sugere um quadro muito mais de estabilidade aos preços, com menor potencial para novas altas, ao menos no curtíssimo prazo”, avaliam os analistas.

“Mesmo com o desarranjo gerado pelos dois casos de EEB não transmissíveis (doença conhecida como ‘mal da vaca louca’), o que fez as indústrias brasileiras darem um ‘cavalo de pau’ na produção devido ao cancelamento dos envios ao mercado da China, o tempo de recuperação dos preços da arroba foi muito rápido”, relata a IHS.

Volume de exportações

As exportações brasileiras de carne bovina devem recuar 10,5% em 2021, em relação ao volume embarcado em 2020, para 1,54 milhão de toneladas, prevê a Agrifatto (São Paulo, SP) em análise divulgada nesta quarta-feira, 29 de dezembro.

“A queda anual de desempenho é justificada principalmente pela ausência de compras chinesas no período de 4 de setembro a 15 de dezembro”, dizem os analistas da consultoria. No entanto, em termos de receita, os embarques de carne bovina devem registrar o montante de US$ 7,89 bilhões, o maior valor da história, estima a Agrifatto.

Tal resultado, continua a consultoria, é atribuído à valorização anual de 16,13% no preço médio da proteína bovina, que fechará o ano acima dos US$ 5.000/t pela primeira vez desde 2011. Isso porque, até setembro/21, o total exportado pelo Brasil era de 1,27 milhão de toneladas, volume 1,48% superior ao mesmo período de 2020.

“O fato é que as exportações brasileiras de carne bovina terão um bom resultado em 2021, mas poderia ter sido bem melhor”, observam os analistas.

Atacado

No atacado, os preços dos principais cortes bovinos encerram o ano estáveis, reflexo da equalização entre oferta e demanda.

Quando se iniciou o primeiro dia útil do ano de 2021 (04 de janeiro), o equivalente carcaça tinha como referência o valor de R$ 268,43/@, informa a IHS. Apesar das limitações geradas pelo mercado interno, ainda assim, neste dia 30 de dezembro, o valor de referência para o equivalente carcaça está em R$ 304,04/@, o que significa um aumento anual de 13,3%, calcula a consultoria.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com