Arroba despenca R$ 24,00; exportação é a esperança!

PARTILHAR
@rimaagropecuaria

Com as exportações ainda suspensas pela China, o mercado do boi gordo acabou ficando sem referência e já acumula uma queda de mais de R$ 24/@ nos preços!

O mercado físico de boi gordo registrou preços predominantemente mais baixos nesta quarta-feira, 16, nas principais praças pecuárias pelo país. Observamos um avanço nas negociações pelo país, mesmo com as precificações abaixo da referência, o que acabou trazendo mais uma queda na média paulista. Houve boatos no decorrer do dia de que ocorreu a suspensão do embargo chinês. No entanto, não houve confirmação alguma por parte do governo brasileiro, tampouco pelas associações que regem o setor.

Os frigoríficos exportadores com destino à China seguem remanejando seus abates, em compasso de espera, aguardando a retomada das exportações com destino ao principal importador de carne bovina brasileira. Os pecuaristas estão tendo que vender seus animais pelo preço ofertado ou tentar absorver o custo de R$ 20,00/dia no confinamento!

Segundo a Scot Consultoria, em sua análise diária, informou que puxada pelo cenário ainda incerto para as exportações, a pressão de baixa segue no mercado do boi gordo. As referências para o boi, vaca e novilha gordos nas praças paulistas recuaram R$2,00/@, na comparação diária. O boi, vaca e novilha gordos estão sendo negociados em R$305,00/@, R$288,00/@ e R$303,00/@, respectivamente, preços brutos e a prazo. 

Os negócios têm ocorrido paulatinamente e cabe o destaque que há compradores com ofertas bem abaixo da referência atual. Infelizmente, com as margens cada vez mais apertadas dentro da porteira, com custo da diária animal em torno de R$ 20,00/cab, os pecuaristas estão optando por negociar parte dos seus lotes para tentar frear as despesas.

O Indicador do Cepea, mais uma vez, voltou apresentar grande desvalorização e os valores saltaram de R$ 303,10/@ para o patamar de R$ 295,00/@, uma queda de 7,88% no comparativo diário. O Indicador observou uma grande oscilação na média móvel do Indicador, que nos últimos 30 dias chegou a impor uma redução de quase R$ 24,00/@!

Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 301,00/@, na quarta-feira (15/09), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 273,67/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 310,36/@.

Com as exportações de carne bovina suspensas para a China, as comercializações seguem travadas, já que as compras chinesas são responsáveis por quase 70% do que embarcamos atualmente. “A produção brasileira é muito dependente da demanda chinesa e temos estoque que poderia estar sendo direcionado para as exportações, mas as indústrias estão remanejando para escoar no mercado interno”, comentou o Analista de Mercado da Cross Investimentos, Caio Junqueira.

O analista ainda reforça que é essencial levantar o embargo das exportações ainda nesta semana, pois a China vai entrar em feriado entre os dias 19 a 21 de setembro vai ser comemorado o dia do Festival do Meio do Outono, o que deve comprometer os embarques de carne bovina. 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que não há previsão para a retomada das compras de carne bovina brasileira pela China. As exportações para o país ficaram suspensas há 10 dias, quando o primeiro caso suspeito de vaca louca foi notificado em Minas Gerais.

Sem confirmação do governo chinês, mas conversa produtiva ontem:

Ontem (14/09/2021) houve uma reunião entre a ministra da agricultura do Brasil (Tereza Cristina), embaixador chinês no Brasil, embaixador brasileiro na China e representantes da Abiec.

Não houve nenhuma definição oficial, mas aparentemente as conversas foram promissoras e especula-se a volta dos embarques para a próxima semana. Estamos acompanhando, mas o preço do boi gordo já começa a responder na B3.

Por meio de nota do MAPA:

A decisão daquele país foi comunicada ao Mapa pela adicância agrícola em Riade. Já foram encaminhadas informações técnicas sobre o caso para as autoridades sanitárias da Arábia Saudita. Estão sendo realizadas reuniões, mas não há ainda previsão sobre a retirada das suspensões. 

Em relação à China, o Brasil suspendeu, temporariamente, no último dia 4 de setembro, as exportações de carne bovina em cumprimento ao protocolo sanitário firmado com aquele país. A suspensão continua em vigor até que as autoridades chinesas concluam a avaliação das informações já repassadas pelo Brasil.

Também não há, ainda, previsão de retomada das vendas desse produto para aquele país.”

Mercado Futuro

Na B3, a curva de contratos futuros apresentou valorização em virtude de boatos que ocorreram durante o pregão sobre a retomada das exportações à China. O ajuste do vencimento para setembro passou de R$ 297,10 para R$ 303,00, do outubro foi de R$ 301,95 para R$ 308,45 e do novembro foi de R$ 311,05 para R$ 317,75 por arroba.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • Com isso, em São Paulo, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 304 na modalidade a prazo, estável.
  • Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 285, contra R$ 290.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 304, contra R$ 304 a R$ 305.
  • Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 290, contra R$ 298 a R$ 299.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 302 a arroba, contra R$ 305,00.

Atacado

A carne bovina segue com preços acomodados no mercado atacadista. Os frigoríficos que operam apenas no mercado doméstico mantêm o fornecimento normal e encontram as condições necessárias para a manutenção dos preços em um mês bastante tumultuado. “O consumidor médio ainda opta pela carne de frango como proteína preferencial, algo compreensível na atual situação macroeconômica”, disse Iglesias.

Com isso, o quarto dianteiro ainda foi precificado a R$ 16,30 o quilo. Ponta de agulha também permanece precificada a R$ 16,30, por quilo. Quarto traseiro ainda é precificado a R$ 21,50, por quilo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com