Arroba subiu, mas pecuarista não comemora

Arroba subiu, mas pecuarista não comemora

PARTILHAR
gado-roubado
Foto Divulgação.

A Acrimat avalia com cautela a valorização no preço da arroba do boi e da vaca que em uma média anual. Veja os motivos!

A Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) avalia com cautela a valorização no preço da arroba do boi e da vaca que em uma média anual – entre fevereiro de 2018 e fevereiro de 2019 – chegou a 4%. Somente entre os meses de dezembro de 2018 e fevereiro de 2019, os preços saíram de R$ 132,20 para R$ 137,40 – do boi gordo – e de R$ 123,40 para R$ 128,41, para a vaca.

Os números constam no relatório da bovinocultura, divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), e considera que o aquecimento da procura por animais para abate impulsionou esse cenário, especificamente dezembro de 2018, quando algumas plantas frigoríficas aumentaram a sua utilização diária.

No entanto, para o consultor da Acrimat, Amado de Oliveira Filho, não há motivos para comemoração. “Deve-se levar em consideração os custos de produção, que não caem, pelo contrário. Ou seja, com impostos, taxas tendo aumento significativo, a valorização verificada não representa de fato aumento de renda para o produtor”, afirma o consultor.

Segundo o relatório, a região que mais contribuiu para essa conjuntura foi a centro-sul, por ter incrementado em 695 animais a sua capacidade frigorífica. “As regiões norte e nordeste também apresentaram um aumento, de 100 e 440 animais, respectivamente. Estas informações evidenciam uma maior necessidade e procura de animais para o abate, mesmo com a demanda ainda patinando no início de 2019”, diz trecho do relatório.

“Temos que aguardar os impactos a médio e longo prazo, para somente assim sabermos se o produtor terá de fato aumento na lucratividade. Hoje a conta ainda não fecha e é preciso cautela, pois a pecuária é feita de ciclos”, diz Amado de Oliveira.

Fonte: Assessoria Acrimat

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com