PARTILHAR

A pergunta que veio do João Costa – Marabá/PA, é : Tenho novilhas ¾ Nelore e preciso aumentar meu rebanho. Devo aproveita-las para reprodução? E qual raça usar sobre elas? Alexandre Zadra reponde a essa pergunta.

Não se sabia ao certo qual era Nelore legítima e qual era ¾ Nelore e ¼ Red Angus, pois o Sr. João havia separado seu rebanho de matrizes ¾ Nelore pela cor e naquele lote havia somente as brancas. Incrivelmente iguais na conformação, quem não conhece bem esse tipo de gado poderia apostar que é uma matriz zebuína.

As diferenças fenotípicas dessa “Zebu”, que na verdade é ¾ Nelore e ¼ Red, para uma matriz Zebu pura estão na conformação corporal, sendo mais profunda, musculosa e principalmente nas características produtivas, apresentando maior fertilidade, além de ser sexualmente mais precoce e possuir habilidade materna impar.

Vaca ¾ Nelore e ¼ Red Angus com bezerro ao pé, filho de Angus. Boa precocidade e ótima habilidade materna

Arquivo pessoal do autor.

Não raro, ouço de alguns clientes – “Pretendo fazer cruzamento industrial, mas meu rebanho de matrizes zebuínas é muito ruim e precisa primeiramente ser melhorado. O que você acha de eu usar sêmen de Nelore Provado nesse meu rebanho “Pé duro”(vacas ¾ Nelore ou aneloradas) para numa segunda etapa se fazer o cruzamento industrial? O Cruzamento não vai sair melhor se eu usar matrizes aneloradas filhas de inseminação?

Sou categórico nessa questão, esclarecendo que a maneira mais racional e rápida de se melhorar as matrizes zebuínas é usar sêmen de uma raça europeia materna (Angus, Hereford, Simental, Suíço) nas matrizes “Pé duro”, gerando animais F1 muito precoces e aí sim usar sêmen de Nelore provado nas fêmeas F1.

Assim, em duas gerações se faz uma matriz anelorada (na verdade, é ¾ Nelore), logrando as características produtivas que citei anteriormente. Essa matriz ¾ Nelore entra no cio entre 18 e 20 meses de idade totalmente a pasto e desmama um bezerro impressionante.

Novilhas ¾ Nelore: grande potencial para enxertar com 18 meses e ótima habilidade materna

Arquivo pessoal do autor.

Pensando em reter a filha dessa matriz ¾ Zebu temos indicado raças bimestiças (Braford, Brangus ) ou as taurinas adaptadas, como Bonsmara, Senepol ou Caracu, buscando gerar heterose máxima com adaptabilidade, filosofia pregada pelo Dr. John E. Frisch, pesquisador australiano e um dos maiores conhecedores de gado adaptado no mundo. Frisch dizia que a heterose somente, e tão somente, se expressa se o animal for totalmente adaptado ao clima e ambiente, ou seja, todo animal desmamado na região Centro-Norte do País deve ter pelo curto, liso e brilhante.

Na prática, isso significa não ter pelos na cabeça e parte interna da orelha. Se pensarmos num cruzamento terminal sobre essas ¾, indicamos o uso de raças europeias, devendo seus produtos 5/8 europeus serem manejados com suplementação concentrada até o abate.

Por outro lado, em regiões onde a temperatura noturna de verão cai para 24 graus Celsius ou apresentam verão sem chuva como no Rio Grande do Sul, podemos utilizar sêmen de raças europeias nessa fêmea ¾ Zebu, produzindo ao animal 5/8 ou bimestiço, podendo reter a fêmea para reprodução.

Caso o produtor do Centro-Norte do Brasil tenha usado sêmen de raças adaptadas como Senepol ou Caracu nas F1, fazendo uma fêmea tricross excelente, sugerimos que use uma raça bimestiça (5/8) sobre essas novilhas tricross. Quando essa tricross se tornar vaca, indicamos o uso de sêmen de Zebu.

Lembre-se que o maior lucro obtido no sistema de cria se refere ao uso das matrizes cruzadas em reprodução.

Você vai perder heterose, mas contabilizará um ganho geral em termos de sobrevivência de bezerros, fertilidade e concepção do rebanho e adaptabilidade.

Vaca ¾ Nelore ¼ Red Angus com Bezerro caracu no pé

Arquivo pessoal do autor.

No Centro-Sul do País temos indicado o uso de sêmen de raças bimestiças ou mesmo Bonsmara nas F1, mantendo uma boa adaptabilidade ao calor seco da região, onde o gado perde parte dos pelos no verão e desenvolve maior pelame no inverno rigoroso. Sobre essa fêmea, manter o uso de bimestiços, rotacionando as raças.

Não se esqueça que gado puro é para ambientes excelentes. Para ambientes rústicos e extensivos, gere heterose e adaptabilidade que sempre terá índices altos de produtividade, ou seja, quilos de bezerros desmamados em relação ao quilo de matrizes observadas no cio.

Fonte: Cross Breeding

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com