Aumento na oferta de leite mundial pressiona preços

Aumento na oferta de leite mundial pressiona preços

PARTILHAR
Leite
Foto Divulgação.

O último leilão GDT, realizado nesta terça-feira (19/12), voltou a apresentar variação negativa no preço médio.

Essa queda, de 3,9%, foi a segunda maior variação negativa do ano e trouxe o preço médio para US$ 2,969/tonelada.

Nesse leilão, todos os produtos desvalorizaram. Os queijos foram os que apresentaram a maior variação negativa, fechando em US$ 3.389/tonelada (-7,9%). Os leites em pó também perderam força; ao cair 4,8%, o desnatado fechou seu preço em US$ 1.675/tonelada, enquanto o integral teve a menor queda relativa (-2,5%), e fechou a US$ 2.755/tonelada. Historicamente valorizada ao longo do ano, a manteiga apresentou a menor queda entre os produtos, de 2,3%, e seu preço fechou o leilão em US$ 4.474/tonelada. Confira no gráfico abaixo o histórico dos índices do leilão:

Gráfico 1. Histórico de preços do leilão GDT. Fonte: Global Dairy Platform.
A oferta mundial de leite vem em crescimento sólido, especialmente no segundo semestre. Em novembro, ao compararmos 2017 com 2016, a produção neozelandesa foi 3,4% maior, mostrando que o país deve ter uma safra mais robusta neste ano. Enquanto os dados de outubro (2017 vs. 2016) mostram aumento de 5% na produção da União Europeia, e 1,4% nos EUA. Assim, os contratos futuros de leite em pó apresentaram mais uma variação negativa em todos os meses negociados, após uma alta em quase todos os meses no leilão anterior. Confira a tabela abaixo, que demonstra a expectativa de maior oferta de leite nos próximos meses:

Tabela 1. Preços futuros do leilão GDT.

Fonte: MilkPoint

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com