Bezerro recua R$ 390/cab; Chegou a hora de comprar!

PARTILHAR
@estanciabahialeiloes

As tenções no mercado do boi gordo trouxeram também uma pressão negativa nos preços da reposição, em especial para as categorias mais jovens!

A manutenção da suspensão imposta pela China – devido aos dois casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) registrados no Brasil no início deste mês – trouxe grande pressão negativa nos preços do boi gordo, o que acabou refletindo em uma baixa fluidez no mercado da reposição, já que muitos pecuaristas da recria/engorda não conseguiram concretizar a venda da suas boiadas para abate.

A forma como o pecuarista compra ou vende seus animais pode causar grande impacto na sua margem, principalmente neste momento. Antes de mais nada, é preciso dizer que a análise aqui utiliza os dados reais de mercado, negociações informadas e conferidas. É preciso que cada pecuarista se atente para a sua realidade, utilizando as informações como base para a sua gestão e planejamento.

Segundo a IHS, o travamento do mercado do boi gordo, reduziu o poder de negociação dos recriadores e invernistas, que, por sua vez, buscam postergar ao máximo a reposição do rebanho.

Os pecuaristas da cria, por sua vez, tentam não negociar os seus lotes por preços muito abaixo da referência, já que o custo de produção segue elevado, mas também são pressionados pela piora na qualidade dos pastos e chegada da época de preparar a IATF.

Conforme apontado pelo Indicador Cepea do bezerro (praça do MS) os preços sofreram grande desvalorização e fechou a quinta-feira (16/9) cotado em R$ 2.857,92. Diante disso, o cenário é de desvalorização acentuada nos últimos 20 dias, onde o bezerro era cotado a R$ 2.964,75.

Quando falamos acima que a forma como o pecuarista negocia esses animais – por cabeça ou por kg – teria influência nas suas margens, estávamos na verdade alertando. Confira abaixo os valores apresentados pela Agrobrazil e veja onde está o “pulo do gato”.

Segundo a tabela abaixo, onde são descritas as médias por região para a primeira quinzena de setembro, é possível observar que os valores dos animais tiveram um recuo de R$ 389,17. Mas, quando negociamos esses animais por kg, observamos que os preços seguem praticamente estáveis e, o pecuarista invernista, acaba adquirindo animais de melhor peso.

Segundo a IHS, o travamento do mercado do boi gordo, devido principalmente à suspensão voluntária dos embarques à China após o registro dos dois casos atípicos de vaca louca, reduziu o poder de negociação dos recriadores e invernistas, que, por sua vez, buscam postergar ao máximo a reposição do rebanho.

Avaliando as demais categorias, segundo os dados divulgados pela Scot Consultoria, os valores para os animais na praça paulista no fechamento desta semana, seguem da seguinte forma:

  • Boi Magro: R$ 3.850,00 ou R$ 320,00/@
  • Garrote: R$ 3.400,00 ou R$ 357,90/@
  • Bezerro 12M: R$ 2.900,00 ou R$ 12,90/kg
  • Desmama 8M: R$ 2.700,00 ou R$ 15/kg

Diante do que foi exposto, qual seria a alternativa para o pecuarista da recria/engorda, neste atual momento? Confira a resposta abaixo!

É melhor garantir a reposição

Para tomar essa decisão, o pecuarista precisa avaliar o seu planejamento e olhar para o mercado da porteira para fora. Pensar na reposição agora, no caso de animais mais jovens, seria se atentar para os possíveis cenários para o primeiro trimestre de 2022.

bezerros nelore vermelho e branco
Foto: Fazenda Elge

Atualmente, a piora na qualidade das pastagens e o avanço nos custos da nutrição – que também explicam o baixo volume de negócios no mercado de reposição – pode ser um fator determinante para aproveitar a oportunidade de comprar uma reposição mais barata.

Segundo os analistas, devemos continuar observando uma demanda acima da oferta para o ano de 2022, principalmente no que diz respeito ao mercado interno. O avanço da vacinação da população mais jovem e o retorno das atividades econômicas devem elevar a demanda pela proteína bovina.

Em um cenário otimista, com o avanço da demanda chinesa se aliando a um mercado interno com elevação da demanda, não se terá matéria prima suficiente para as indústrias conseguir atender a demanda da ponta compradora. Vá as compras, mas só compre aquilo que seu planejamento sustenta!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com