Boi gordo subiu a R$ 233/@, mas a ‘tempestade’ está chegando; Veja

Preço do boi gordo “subiu” em abril com pressão na oferta de animais para abate, mas os pecuaristas já começam a sentir a elevação das temperaturas e a drástica redução das chuvas no Centro-Oeste e Sudeste.

O mercado físico do boi gordo registrou preços mais altos para a arroba do boi em boa parte das praças de comercialização do Brasil ao longo de abril, mas a ‘tempestade’ está chegando. Para o mês de maio, espera-se que os preços voltem a sentir a pressão negativa nas cotações por parte da indústria que consegue alimentar suas escalas de abate e, neste momento, aguarda o aumento da oferta de animais.

Neste cenário, ressaltam os analistas, os pecuaristas já começam a sentir a elevação das temperaturas e a drástica redução das chuvas no Centro-Oeste e Sudeste. “A mudança climática terá um papel determinante no avanço da oferta nesta fase final da safra do boi gordo”, afirmou o analista da Consultoria Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.

mercado físico do boi gordo encerrou a semana com preços acomodados, mantendo o padrão das negociações em grande parte do país. O mercado iniciou o mês com as atividades em ritmo de feriado. Os preços seguiram firmes e as escalas de abate bem-posicionadas, apontou a Scot Consultoria.

Os preços da arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim na última sexta-feira, 03 de maio:

  • São Paulo (Capital): R$ 233 a arroba, alta de 3,56% frente ao fechamento de março, de R$ 225
  • Goiás (Goiânia): R$ 215 a arroba, inalterado na comparação com o mês de março.
  • Minas Gerais (Uberaba): R$ 230 a arroba, avanço de 4,55% frente ao encerramento de março, de R$ 220
  • Mato Grosso do Sul (Dourados): R$ 225 a arroba, aumento de 2,27% frente ao fechamento de março, de R$ 220
  • Mato Grosso (Cuiabá): R$ 220 a arroba, avanço de 4,76% frente aos R$ 210 da semana anterior
  • Rondônia (Vilhena): R$ 192 a arroba, baixa de 0,52% frente aos R$ 193 registrados no encerramento de março.

A ‘tempestade’ está chegando no mercado do boi gordo

No mês passado, o preço médio do boi gordo na praça paulista (indicador Cepea/B3) ficou em R$ 230,51/@. O mercado físico do boi gordo registrou preços mais altos para a arroba do boi em boa parte das praças de comercialização do Brasil ao longo de abril. Mas, de acordo com analistas, com a chegada de maio, os preços do boi gordo podem voltar a recuar em todo País, motivados pelo período de seca que se aproxima.

Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, o bom volume de chuvas permitiu que os pecuaristas adotassem a retenção de oferta de gado no pasto como estratégia recorrente, possibilitando que as negociações acontecessem em patamares ligeiramente mais altos.

Assim, para maio, o quadro tende a mudar completamente, com o clima ainda ocupando um papel decisivo na formação dos preços. Com mais animais terminados disponíveis, diz a consultoria, as indústrias conseguem manter as suas escalas de abate alongadas, pressionando para baixo os preços ofertados aos pecuaristas, apontou a Agrifatto.

Para Iglesias, o esvaziamento das chuvas e as altas temperaturas no Centro-Norte do Brasil devem provocar um grande desgaste nas pastagens, fazendo com que os pecuaristas se vejam obrigados a negociar um número maior de animais a partir da segunda quinzena, estabelecendo um viés negativo aos preços.

Exportações de carne

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 923,343 milhões em abril (20 dias úteis), com média diária de US$ 46,167 milhões.

A quantidade total exportada pelo país chegou a 203,839 mil toneladas, com média diária de 10,192 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.529,80.

Em relação a abril de 2023, há alta de 58,1% no valor médio diário da exportação, ganho de 56,6% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 5,1% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Vencimento do contrato futuro do boi gordo em abril/24 na B3

No último dia de funcionamento da B3, em abril, houve a liquidação do contrato futuro do boi gordo, cujo código é BGIJ24. A cotação da arroba nesse vencimento, segundo o indicador calculado pelo Cepea, ficou em R$231,37/@. O indicador do boi gordo da Scot Consultoria, ficou em R$231,48/@.

Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Não é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

Suplementação de proteína: O que saber antes de comprar

A ingestão diária de energia pode ser um fator limitante para o desempenho das vacas durante o pastejo de pastagens de inverno. À medida que as forragens avançam nos estágios de maturidade, há um suprimento inadequado de proteína bruta, o que efetivamente limita a ingestão de energia e a própria ingestão geral. A ingestão diminui…

Continue Reading Suplementação de proteína: O que saber antes de comprar

Siga o Compre Rural no Google News e acompanhe nossos destaques.
LEIA TAMBÉM