Brasil ampliará cooperação técnica com a Guatemala no setor leiteiro

Brasil ampliará cooperação técnica com a Guatemala no setor leiteiro

pecuaria-leiteira
Foto: Divulgação

Foi realizado uma série de inspeções técnicas por 18 propriedades rurais da Guatemala para efetuar os registros genealógicos de 319 animais

A expertise brasileira na formação de rebanhos bovinos puros da raça Girolando está sendo aplicada na Guatemala para melhorar a qualidade do plantel leiteiro local.

A Associação Brasileira dos Criadores de Girolando realizou neste mês de novembro, juntamente com técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Alimentação da Guatemala (MAGA) e da Associação de Gir e Girolando da Guatemala, uma série de inspeções técnicas por 18 propriedades rurais da Guatemala para efetuar os registros genealógicos de 319 animais.

O coordenador Operacional do PMGG (Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando), Marcello Cembranelli, e os técnicos guatemaltecos visitaram as propriedades entre os dias 9 e 16 de novembro.

Ele destaca que o rebanho guatemalteco vem evoluindo desde a última inspeção técnica realizada há pouco mais de um ano pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando.

A entidade mantém com a Associação de Gir e Girolando da Guatemala um termo de cooperação técnica na área de registro e melhoramento genético, com o objetivo de viabilizar o aumento de rebanhos registrados.

“A proposta da Guatemala é de, nos próximos dois anos, trabalhar somente com animais de genealogia conhecida. Para formar um plantel de Girolando de composição racial 5/8, eles estão iniciando o trabalho com uma base de 1000 animais aproximadamente e utilizando touros 5/8 e 3/4”, explica Cembranelli.

No sábado (18/11), houve uma reunião entre o técnico da Girolando e criadores da Guatemala para definir um plano de trabalho para os próximos anos. Uma primeira reunião nesse sentido já ocorreu no dia 14 de novembro, quando ele foi recebido pelo ministro da Agricultura da Guatemala, Mario Mendez, e pelos técnicos do Ministério.

Foram debatidas as ações prioritárias para garantir o melhoramento genético do rebanho. Entre as propostas apresentadas estão, o início do Serviço de Controle Leiteiro Oficial, comunicações de dados dos animais referentes a nascimento e reprodução, além do direcionamento dos acasalamentos.

“Discutimos ainda, durante a reunião, a abertura do protocolo sanitário entre os dois países para permitir as importações de embriões e sêmen. A proposta já foi enviada pelo governo brasileiro, mas falta o governo da Guatemala aceitar. O Brasil é referência mundial na raça Girolando e tem todo um know-how na área de melhoramento genético que pode ajudar países como a Guatemala a ter uma pecuária leiteira mais produtiva”, assegura Cembranelli.

Registros-em-fazendas-da-Guatemala
Registros em fazendas da Guatemala

Como não há protocolo entre os dois países, a genética brasileira Girolando tem entrado na Guatemala via Panamá e Costa Rica, países com os quais o Brasil tem protocolo sanitário para comercialização de material genético.

Durante a viagem, o técnico brasileiro teve a oportunidade de apresentar as vantagens da raça brasileira para o presidente da Guatemala Jimmy Morales, que participou esta semana da abertura oficial da Expica 2017, na cidade da Guatemala, ocorrida na última terça-feira (14/11). No próximo sábado, Cembranelli fará o julgamento de animais da raça na Expica 2017.

Fonte: Milk Point 

PARTILHAR

21 anos, Jales/SP.
Estudante de Jornalismo, fotógrafa e estagiaria em Assessoria de Imprensa.
Contato: jornalismo@comprerural.com