Brasil poderá exportar lácteos ao Egito

Brasil poderá exportar lácteos ao Egito

PARTILHAR
pecuária de leite
Foto Divulgação

Brasil poderá exportar lácteos ao Egito, diz ministra. Tereza Cristina, que está no Cairo, divulgou a liberação do mercado em rede social.

O Egito abriu o mercado para exportações de produtos lácteos brasileiros, afirmou nesta sábado (14) a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que está em visita oficial ao Oriente Médio integrada pela pasta e empresários.

A ministra, que neste sábado está no Cairo, publicou o fato em um vídeo vídeo em uma rede social. Segundo ela, as autoridades egípcias aprovaram o Certificado Sanitário Internacional do Brasil. “O pedido de aprovação estava pendente desde 2016”, diz o post de Cristina.

“Era uma grande notícia que esperávamos. Foi muito rápida a negociação, e a partir do mês que vem o Brasil está pronto a exportar. Mais uma vitória de abertura de mercados do Brasil para os países árabes”, afirma a ministra no vídeo.

O post de Tereza Cristina foi compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro.​

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou na manhã deste sábado (14) de um café da manhã com autoridades do Egito para tratar de parcerias comerciais entre os dois países. No encontro, ficou acertado que Brasil e Egito farão uma cooperação técnica para melhoramento genético de gado bovino. 

“Ótimas notícias, abertura de mercado, reconhecimento dos produtos brasileiros. Muito boa a reunião, agora vamos aguardar as próximas que espero que sejam tão exitosas quanto esta”, disse a ministra, ao fim da reunião com o general Fayez Abaza, diretor de produção animal da Organização Nacional de projetos de Serviços, órgão responsável pelas compras das Forças Armadas e pela segurança alimentar no Egito.  

A intenção do Egito é criar uma fazenda modelo no país. Uma missão egípcia deverá vir ao Brasil para conhecer experiências da Embrapa e do setor privado. Eles também foram convidados a visitar a ExpoZebu, em Uberaba (MG). Além disso, o general disse que quer expandir o comércio com o Brasil comprando mais milho, farelo de soja, alfafa, e  gado em pé, além de caprinos. “Esperamos uma relação mais profunda e verdadeira com o Brasil no que se trata dos produtos agropecuários. Espero que a relação seja expandida para outras áreas”, destacou o egípcio. 

Para o secretário geral da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Tamer Mansour, a reunião foi de extrema importância para o governo egípcio. “Tratou-se de algumas novas parcerias que não estavam sendo conversadas antes. Isso também demonstra que o Egito está começando a olhar para o Brasil como um parceiro estratégico, não apenas nas exportações e importações, mas para fortalecer os investimentos e considerar o Brasil como um país de base para novos projetos”, disse. 

O Brasil também pediu apoio para redução de tarifas consulares cobradas pelas repartições egípcias, que encarecem as exportações brasileiras em cerca de US$ 6 milhões anuais, taxas que acabam sendo repassadas para o consumidor egípcio, segundo o embaixador do Brasil no Cairo, Ruy Amaral, 

Também participaram da reunião o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Orlando Leite Ribeiro; a diretora de promoção Comercial, Investimentos e Cooperação, Marcia Nejaim e o deputado Alceu Moreira,presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária e o adido agrícola brasileiro no Egito, Cesar Teles

O Egito é o primeiro dos quatro países que serão visitados pela ministra Tereza Cristina na missão ao Oriente Médio. Até o dia 23 de setembro, a comitiva ainda passará pela Arábia Saudita, Kuwait e Emirados Árabes Unidos. 

Fonte: Folha de São Paulo

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com