Catálogo de touros leiteiros terá novos índices com foco na saúde

Catálogo de touros leiteiros terá novos índices com foco na saúde

Foto: CRI Genética

Novos subíndices do ICC$ (Índice de Vaca Ideal) valorizam reprodutores cujas filhas apresentam menor propensão a Cetose Subclínica (CSC), Metrite (MTT) e melhor Saúde de Cascos (SC).

A CRI Genética, empresa líder no segmento de inseminação artificial (IA) no Brasil, acaba de lançar o novo Catálogo Leite Europeu 2017, que traz detalhes da coleção de touros provados e focados em produção, oriundos dos mais respeitados plantéis do país. Além de novos touros, o Catálogo inova ao apresentar três novos subíndices que compõem o ICC$ – Índice da Vaca Ideal, exclusivo da CRI Genética, voltado para saúde.

Elaborado pela CRI / ICB, com base no resultado de trabalhos realizados em conjunto com o Departamento de Ciência Leiteira e a Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Wisconsin-Madison, o índice CETOSE SUBCLÍNICA (CSC) identifica touros cujas filhas têm menor incidência desse distúrbio metabólico, uma das principais doenças do gado leiteiro, que interfere diretamente na queda da produção de leite. Justamente por não apresentar manifestações clínicas aparentes, a Cetose Subclínica gera mais prejuízos econômicos do que se consegue mensurar no dia a dia.

METRITE (MTT) é o segundo novo índice do Catálogo Leite Europeu 2017 da CRI. Touros com altos valores de MTT têm filhas menos propensas a terem problemas de metrite, doença causada pela infecção bacteriana do útero, geralmente após o parto e que causa queda nos índices reprodutivos e também na produção leiteira.

Já o índice SAÚDE DE CASCO (SC) valoriza animais cujas filhas têm melhor locomoção, menos problemas de casco e menor incidência de laminites, inflação aguda ou crônica das estruturas sensíveis do casco, que resulta em claudicação (manqueira) e deformidades permanentes do casco.

“Esses novos índices representam uma evolução do ICC$ ao valorizar aspectos de saúde que asseguram a longevidade da vaca da leite, o que se traduz em menos perdas e mais lucratividade ao negócio. Por ser a maior cooperativa de produtores de leite do mundo, a CRI identificou problemas, utilizando mais de 26.000.000 relatos de acompanhamentos diários de mais de 4.000.000 de vacas, e elaborou índices a partir dessas demandas de mercado que pressionam a seleção genética para que se tenha retorno a maior rentabilidade”, destaca Bruno Scarpa Nilo, Gerente de Produto Leite da CRI Genética.

Sobre o ICC$
Lançado em 2014, o ICC$ – Índice da Vaca Ideal – foi concebido para reproduzir a rentabilidade e eficiência das filhas dos touros por meio de indicadores econômicos em tempo real, baseando-se nos princípios genéticos para atender as necessidades dos produtores. Desde então, vem sendo cada vez mais adotado como a ferramenta ideal para a seleção de touros em todo o mundo.

De uso exclusivo da CRI, o ICC$ é utilizado para ranquear touros da raça Holandesa enfatizando saúde, lucratividade, tamanho e condição corporal ideal sem sacrificar produção de leite e qualidade de sistema mamário.

O ICC$ é a combinação de cinco subíndices: Eficiência da Produção (PREF$), voltada para alta produção com menores custos de alimentação; Saúde (HLTH$) para diminuição no número de problemas sanitários, do qual fazem parte os novos índices Cetose Sub Clínica, a Metrite e a Saúde de Casco; Fertilidade e Fitness (FYTH$) com ênfase na eficiência reprodutiva, com idade reduzida no primeiro parto, menos dias em aberto e intervalo entre partos mais curtos; Habilidade de Ordenha (MABL$) direcionada para a melhora da qualidade do Sistema mamário e textura de úbere, evitando tendência de vacas com tetos excessivamente curtos; e Habilidade de Parto (CABL$) valorizando a ocorrência de partos sem necessidade de auxílio, com os bezerros nascendo vivos e sem dificuldade.

Fonte CRI Genética