Cavalos são queimados vivos, entenda!

Cavalos são queimados vivos, entenda!

PARTILHAR
Foto Divulgação

O local do incêndio foi alterado, o que prejudicou o trabalho da perícia; protetora defende a identificação do autor

Dois cavalos morreram de forma trágica na madrugada desta quarta-feira (28), no bairro rural Santa Felicidade. O dono dos animais, um homem de 24 anos, relatou no Boletim de Ocorrência que os cavalos, sendo um deles registrado, estavam em uma cocheira que ele alugou na Rua Três e que por volta das 3h30 ele ficou sabendo que o espaço, que tem outras baias, estava pegando fogo.

O homem se dirigiu ao local, mas quando chegou os cavalos já estavam mortos. Além de registrar o caso na polícia, a vítima acionou a protetora de animais e vereadora em Mogi Mirim Sônia Módena, que publicou um vídeo em uma rede social demonstrando sua indignação com a maldade feita aos cavalos e pedindo que casos como este sejam denunciados. O caso foi registrado como incêndio e segue sendo investigado.

A protetora de animais informou que o local do crime foi alterado e isso impossibilitou a perícia policial. No entanto, diversos fatores indicam que foi um crime doloso, ou seja, com o desejo de fazer.

Foto Divulgação

“Um dos cavalos tinha ferimentos na testa, sinal que lutou muito contra a baia para que ela se abrisse e ele se salvasse. É chocante imaginar o sofrimento que esses animais passaram ali. Com mais de 30 anos de causa animal já vi todo tipo de estupidez humana, desde animal com sete tiros paraplégico se arrastando em área rural, animal todo queimado com água quente, animal vivo sendo comido por urubus, mas esse me abalou muito, mais de 400 quilos de massa animal não morre rápido. Eles sofreram muito, agonizaram demais, dói de pensar”, lamentou a protetora.

Diante da tragédia, Sônia pede que as pessoas denunciem os crimes de maus-tratos contra os animais. “O povo precisa saber o quanto ainda há de maldade humana contra os animais e começar a se posicionar, não só ficar marcando protetores nas redes sociais e, sim, agir e começar a mudar a conduta dentro da própria casa. É comum eu receber denúncia de familiares que não querem se identificar apontando os próprios parentes”, pontuou.

Com relação ao caso dos cavalos mortos no incêndio, a protetora pede que qualquer denúncia seja feita no telefone da Guarda Civil Municipal, no 3811-8900.

Doença fatal para cavalos chega ao Brasil

Curioso: Saiba por que os cavalos precisam ingerir sal

Fonte: Gazeta Guacuana

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com