China voltará a comprar carne bovina do Brasil

China voltará a comprar carne bovina do Brasil

PARTILHAR
Carne com selo de qualidade Nelore 3
Foto Divulgação

“Os embarques devem ser retomados imediatamente; estamos aguardando os detalhes”, disse a ministra. Veja na matéria abaixo!

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que o Brasil voltará a exportar carne bovina para a China. Ela acaba de receber a boa notícia de autoridades chinesas.

“Os embarques devem ser retomados imediatamente; estamos aguardando os detalhes”, disse a ministra.

O governo brasileiro havia suspendido os embarques de carne bovina para a China depois da descoberta de um caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina, a chamada doença da vaca louca, no Mato Grosso. A vaca foi abatida e os produtos derivados do animal foram apreendidos.

O caso não altera a classificação de risco do Brasil para a doença, que continua insignificante, segundo o ministério.

O Brasil, entretanto, tem um protocolo com a China que exige a suspensão imediata de embarques caso um episódio dessa natureza seja detectado. Após a suspensão, o governo brasileiro enviou uma série de documentos ao país asiático que, nesta quinta-feira, concordou em retomar as importações.

A China é principal mercado para carne do Brasil em faturamento e o segundo em volume (atrás somente de Hong Kong), segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec). Em 2018, os embarques para o país asiático somaram 322,4 mil toneladas e US$ 1,49 bilhão. Os números representam alta de 52,54% e 60,04%, respectivamente, em relação a 2017.

Tereza Cristina esperava a notícia da retomada dos embarques desde a quarta-feira (12). O ministério deve divulgar uma nota oficial nesta quinta.

Fonte: G1.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.