Clima: segunda safra de milho pode ser 20% maior que 2018

Clima: segunda safra de milho pode ser 20% maior que 2018

PARTILHAR
roca de milho
Foto: Divulgação

Crescimento da área de plantio e semeadura dentro da janela ideal também colaboram para o cenário otimista. Veja os dados!

Durante a última semana as chuvas tiveram uma sensível redução em boa parte das regiões produtoras de milho do país. Elas foram mais significativas apenas em áreas mais localizadas do Centro-Sul. Mesmo assim, produtores do Paraná acreditam que, se voltar a chover em abril, é possível que se colha uma das maiores “safrinhas” da história do estado. 

Consultorias como a AgRural acreditam em uma segunda safra de milho 20% maior do que a do ciclo passado. Existem algumas características que definem este cenário: clima adequado, plantio dentro da janela e, é claro, uma área 4,8% maior do que em 2018.

No Rio Grande do Sul, segundo a Emater-RS, a colheita avançou 4% em relação à semana anterior, alcançando 59% da área colhida, com 19% maduro e 18% em enchimento de grãos. A colheita avançou de forma lenta devido ao clima, que apresentou vários dias com chuvas na última semana.

Se para a colheita da soja a chuva atrapalhou os trabalhos, por outro lado foi favorável às lavouras em fases vegetativa, de floração e de enchimento de grãos de outras lavouras. As áreas em fase vegetativa apresentam bom potencial produtivo, sendo utilizadas para a produção de silagem, principalmente.
 
No Paraná, mesmo com atraso na safra atual, a colheita de milho primeira safra já chegou perto de 70% das áreas plantadas, valor quase 30 pontos percentuais acima do realizado no mesmo período do ano passado, com qualidade das lavouras e perdas semelhantes às registrada na safra anterior. 

No Paraná, com as condições climáticas favoráveis e tempo mais seco nos últimos dias, praticamente o plantio do milho segunda safra já foi encerrado, com quase a totalidade das lavouras em boas condições de desenvolvimento e boas perspectivas de produtividade. No estado, em geral, as lavouras estão em fase de desenvolvimento vegetativo, mas mais de 20% das áreas estão em fase de florescimento e algumas lavouras do oeste paranaense já estão em fase de enchimento de grãos. 

“Se voltar a chover no Paraná até o início de abril, o ‘safrinha’ irá muito bem”, afirma o produtor Almir Trevisan, de Palotina (PR). Segundo dados da meteorologia, há expectativa de 100 milímetros em diversas áreas do oeste do Paraná a partir do início de abril.

Em Mato Grosso, com as condições climáticas favoráveis na última semana, o plantio foi encerrado em todo o estado. Em geral, as lavouras vêm registrando boas condições e a maior parte está em fase de desenvolvimento vegetativo. Assim como nas áreas do Sul do país, há boas perspectivas atuais de uma safra com produtividade dentro do esperado.

Nas demais regiões produtoras, com as condições climáticas menos favoráveis para a colheita da soja e para o plantio do milho segunda safra, ainda há atrasos na semeadura. Mas, nas áreas já plantadas, grande parte está em ótimas condições de desenvolvimento, tanto pelas ótimas condições atuais de umidade dos solos, quanto pelas temperaturas dentro da média e bom nível de insolação.

Clima na semana

A semana será positiva para o milho, tanto para o cereal da primeira safra – que deve ter um tempo mais seco em todas as áreas produtoras, ajudando na maturação e colheita dos grãos – quanto o de segunda safra. Apesar do tempo mais seco no Sudeste e Sul, a umidade dos solos ainda será suficiente para suprir a demanda das plantas, que também devem ser favorecidas pela boa luminosidade.

As temperaturas tendem a cair um pouco, mas não em níveis que possam provocar perdas ou atrasos significativos no desenvolvimento. Já no norte do Centro-Oeste e no Matopiba ainda deve chover um pouco mais e as temperaturas devem ficar mais altas e assim favorecer o desenvolvimento das plantas.

Fonte: Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com