CNA pede leilões de emergência de milho para amparar suinocultura

CNA pede leilões de emergência de milho para amparar suinocultura

PARTILHAR
gr552386
(Foto: Rogério Albuquerque/Ed. Globo)

Se a proposta for atendida os produtores de suínos ganharam um fôlego até outubro

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) entregou ao Ministério da Fazenda ofício com um pedido para que sejam tomadas medidas emergenciais de amparo à suinocultura, em razão do aumento dos custos de produção e da queda dos preços pagos ao produtor.

Conforme nota divulgada nesta terça-feira, 10, a entidade pede leilões no formato de Valor de Escoamento de Produto (VEP) de 500 mil toneladas de milho para as Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Segundo a CNA, no VEP, o governo paga uma subvenção para que o grão seja destinado a uma região que precisa de abastecimento.

“Se essa proposta for atendida, os produtores de aves e suínos que mais demandam esse grão ganhariam fôlego até outubro”, disse na nota o assessor técnico da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, Victor Ayres.

A CNA também pede que a venda de milho balcão aumente para 40 toneladas mensais por cadastro, entre outras mudanças. O técnico afirma que um suinocultor de 100 matrizes consome 41,6 toneladas de milho mensais.

“Portanto, os atuais limites de 14 toneladas por cadastro amparam apenas granjas com produção de subsistência e não as de produção comercial”, diz.

A confederação pede ainda retorno da linha de crédito de custeio para a retenção de matrizes suínas.

“A medida é necessária para proporcionar capital de giro por alguns meses para o produtor manter suas contas em dia.”

POR ESTADÃO CONTEÚDO

-- conteúdo relacionado --

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com