Como montar um hotel fazenda, turismo movimenta 60 bilhões ao ano

Como montar um hotel fazenda, turismo movimenta 60 bilhões ao ano

PARTILHAR
Foto: Fazenda Ribeirão Hotel De Lazer

Para o Sebrae, turismo é uma prioridade. O setor abriga, em sua cadeia produtiva, cerca de 90% de micro e pequenas empresas, sendo que somente as agências de viagens movimentam mais de R$ 60 bilhões por ano no Brasil. E o Turismo Rural não fica de fora.

movimenta mais de R$ 60 bilhões/ano

O surgimento de hotéis fazenda veio a suprir uma realidade que vinha sendo relegada a segundo plano, que era o convívio com a vida rural. Isto porque o êxodo rural para os centros urbanos, principalmente os de grande porte, iniciado nos anos 1970 e acentuado nos anos 1980, provocou uma espécie de ruptura entre a vida urbana e a rural.

Foto: Hotel Fazenda Areia Que Canta – Brotas – SP

Assim o surgimento dos hotéis fazenda possibilitou o redescobrimento da zona rural pela população urbana, em especial por sair da rotina do cotidiano atribulado das grandes cidades, passando da agitação para a tranquilidade bucólica.
Um hotel fazenda está inserido no contexto do turismo rural, comumente associado às ideias de turismo sustentável e ecoturismo. O Acordo de Mohonk (EUA), assinado por vinte países em 2000, assim define os dois conceitos:

– Turismo Sustentável é aquele que busca minimizar os impactos ambientais e socioculturais, ao mesmo tempo em que promove benefícios econômicos para as comunidades locais e destinos (regiões e países).

– Ecoturismo é o turismo sustentável em áreas naturais que beneficia o meio ambiente e as comunidades visitadas, promove o aprendizado, respeito e consciência sobre aspectos ambientais e culturais.

Nos termos do Acordo de Mohonk para o Turismo Sustentável, é recomendável que um hotel fazenda, na condição de empresa turística, observe os seguintes princípios:

– estar comprometida com o manejo ambiental;
– promover a venda de produtos responsáveis e autênticos que atendam a expectativas realistas;
– promover a retroalimentação de sua clientela;
– saber avaliar eventuais impactos negativos sociais, culturais, ambientais e econômicos, inclusive estabelecendo estratégias para manejo e mitigação;
– seus funcionários deverão estar capacitados, educados, responsáveis e ter conhecimento e consciência sobre manejos ambiental, social e cultural;
– ter mecanismos para monitorar e relatar seu desempenho ambiental;
– controlar a emissão de ruídos e gases;
– estar adequadamente implantada com relação ao ambiente natural;
– evitar danos ao local ao implementar o paisagismo ou a recuperação do ambiente natural relativamente à situação original;
– evitar impactos visuais e luminosos;
– fazer uso sustentável de materiais e insumos – recicláveis e reciclados – produzidos localmente;
– minimizar a produção de dejetos e assegurar sua adequada disposição;
– minimizar os impactos ambientais de sua operação;
– promover a conservação da biodiversidade e a integridade dos ecossistemas;
– promover a redução e o uso sustentável de água;
– promover a redução e o uso sustentável de energia;
– promover o adequado tratamento e disposição de águas residuais;
– promover o manejo adequado da drenagem, solo e águas pluviais;
– adquirir, utilizar e manter a posse de terras de forma apropriada;
– possuir mecanismos para assegurar o reconhecimento dos direitos e aspirações de comunidades indígenas e locais;
– possuir medidas para proteger a integridade da estrutura social das comunidades locais;
– promover impactos positivos (benefícios) na estrutura social, cultural e econômica local;
– estabelecer mecanismos de forma a assegurar que as relações trabalhistas e as práticas industriais sejam justas e estejam em conformidade com a legislação;
– estabelecer mecanismos para minimizar impactos econômicos negativos e maximiza benefícios econômicos para a comunidade;
– fomentar contribuições para a manutenção do desenvolvimento da infraestrutura comunitária;
– utilizar-se de práticas éticas comerciais.

Do ponto de vista técnico, a Organização Mundial do Turismo (OMT) classifica o hotel fazenda como um estabelecimento de alojamento coletivo, com serviços complementares à arrumação do quarto.

Portanto, o empreendimento deverá ser concebido com visão profissional, desde o seu projeto embrionário, o que irá requerer uma avaliação objetiva sobre a forma de atuação, bem como as expectativas comerciais.

Foto: Hotel Fazenda Primavera da Serra

Aviso importante

Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?

Click na imagem para baixar o arquivo

1 COMENTÁRIO