Confinamento no MT bateu recorde

Confinamento no MT bateu recorde

PARTILHAR
Confinamento
Foto: Confinamento Monte Alegre. (Reprodução: CompreRural)

Apesar de ser menor o número de confinadores, os que optaram por realizar a engorda nesse sistema, contou com um volume maior de animais

Os confinamentos localizados em Mato Grosso engordaram 743,8 mil bovinos em regime intensivo em 2018, aumento de 7,15% em relação aos 694,14 mil animais confinados no Estado no ano anterior, informou a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) com base em dados do 3º Levantamento das Intenções de Confinamento de 2018, realizado pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). O resultado representa o maior volume de gado confinado no Estado em seis anos.

Nesta temporada, o porcentual de pecuaristas que optaram por confinar seus animais caiu para 63%, ante 68% registrado no ano passado. Sendo assim, os pecuaristas que concretizaram a intenção de confinar, o fizeram com maior volume.

O consultor da Acrimat, Amado de Oliveira Filho, explica que este cenário ocorreu devido ao aumento nos custos de produção dos insumos usados na ração pecuária. “O milho continua sendo um dos componentes que elevam esse custo”, disse o consultor em nota. O cereal está, em média, 21% mais caro em 2018 quando comparado aos preços praticados em 2017. O farelo de soja tem um preço 35% maior.

“A utilização da capacidade estática de confinamento chegou a quase 80% este ano. Isso demonstra que a criação a pasto ainda tem peso grande e que os produtores terão boas condições daqui para a frente, devido ao volume de chuvas, que tende a beneficiar o pasto e engordar os animais”, acrescentou Amado.

Com informações do Globo Rural.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com