“Conhecer os limites e acreditar no amanhã”

“Conhecer os limites e acreditar no amanhã”

holandes
Foto Divulgação.

O associado mineiro, Leandro Silva Marques conquista pela primeira vez o título de Criador Supremo.

O espírito do Natal invade a redação do JORNAL HOLANDÊS que traz a história do verdadeiro amor familiar, da gratidão e compaixão. A edição presenteia os nossos leitores com uma bela e emocionante homenagem de filho para pai. Sem tradição familiar na raça a equipe do jornal comprova que com foco, dedicação e muito trabalho é possível crescer produzindo leite!
Um sonho de criança que torna realidade, assim começa a história da família Marques. Evaristo Francisco Marques e Leandro Silva Marques, pai e filho, nomes conhecidos entre os criadores da raça Holandesa. Desde os 10 anos, apaixonado pelo campo e por gado, Leandro Marques estava determinado que um dia seria criador. Seu pai, Evaristo atento a paixão do filho e acreditando no seu potencial decidiu investir e tornou realidade o que era apenas um sonho. “Como homenagem registrei o nome do meu pai junto ao meu, com o afixo EF & LS, pois ele acreditou no meu sonho. Estou onde estou graças ao meu pai”, comenta emocionado Leandro.
Com 100% do rebanho Holandês e mais de 23 hectares, o Sítio Trindade localizado em Guaxupé – MG tem como principal atividade a produção de leite. Amigos e grandes conhecedores da raça Holandesa ajudaram nos primeiros passos e a partir daí começou a investir e construir uma história sólida. “Trabalho focado em produtividade e genética, pois ambas têm que andar unidas. A alimentação é outro detalhe importante na produção do leite com qualidade, por isso 100% da nossa ração é produzida na própria fazenda”.
Associado há mais de 13 anos, Evaristo Francisco Marques e Leandro Silva Marques são nomes de destaque nos resultados oficiais do Controle Leiteiro divulgado mensalmente pela Associação dos Criadores de Gado Holandês de Minas Gerais. Prova disso são os vários prêmios conquistados nos Melhores de Minas, uma homenagem realizada todos os anos pela Associação Mineira. Vale lembrar que eles receberam esse ano o título de Criador Master 2016.
Continuando em ritmo de festa e para comemorar os investimentos em qualidade e produtividade, eles conquistaram pela primeira vez na história da fazenda o título de “Criador Supremo” concedido pela Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos da Raça Holandesa. Criadores de todo o país participam da premiação que tem como objetivo destacar o criador que possui um rebanho de Gado Holandês de alto nível de criação, seleção e manejo. O prêmio teve início no Brasil em 1999. Os cálculos para se obter o título de Criador Supremo se resumem em pontos e ocorre a partir de vacas nascidas em um intervalo de 5 anos, na qual os pontos serão basicamente obtidos em relação a Classificação para Tipo e produção de leite. Entre os doze melhores criadores do Brasil, no ano de 2016, Leandro recebeu o reconhecimento no mês de novembro de 2017, em Guaratinguetá – SP.
Acompanhe a história desse jovem que está construindo a sua própria marca, a sua própria história!

JORNAL HOLANDÊS: Posso falar que você faz parte da nova geração no campo?
LEANDRO SILVA MARQUES: Posso falar que faço parte da geração que produz e faz a atividade girar no Brasil, assim como inúmeros outros criadores fora dos holofotes, e que neste momento de instabilidade política e denúncias por fraudes que o país vive, voltam à tona, segurando a economia, gerando emprego e são realmente reconhecidos.

JH: O que significou receber pela primeira vez o prêmio de Criador Supremo?
LM: Veio consagrar ainda mais o trabalho árduo realizado por nós, criadores que vivem da atividade. É comprovar a excelência em produção e tipo dos animais registrados com a utilização do afixo próprio (EF & LS), através de um trabalho que vem desde o acasalamento apropriado, passando pelo nascimento da bezerra, pelos critérios de criação, pelo parto e produção, até que este processo seja traduzido em vacas com altas produções e tipo funcional desejável.

JH: Fale sobre a importância de alguns prêmios conquistados na trajetória da fazenda.
LM: Já participei de inúmeras exposições em Guaxupé, Três Corações, Carmo do Rio Claro, Exphomig… Mas a principal conquista é ter o Afixo EF & LS reconhecido pelo trabalho sério e honesto, ter vacas que se adaptam e corresponde positivamente em qualquer plantel, de diferentes sistemas de trabalho e regiões, isso que é gratificante.

JH: Como você vê a importância das exposições para a fazenda?
LM: Ainda acredito no verdadeiro ideal de exposições, que é ver o que as grandes fazendas estão desenvolvendo e fazer uma autoanalise, trocar informações técnicas, ver filhas de touros novos, realizar o marketing da fazenda com amostras de animais. Essa essência foi um pouco esquecida. Com a política unilateral que envolve todo o produto leite, expor animais para quem vive da atividade é um desafio.

JH: Quando notou que era fundamental profissionalizar?
LM: Hoje, assim como todas as outras atividades não pode haver amadorismo. O sucesso e o fracasso andam muito próximos, e uma decisão precipitada pode ter grandes reflexos. Ser estratégico, ter foco e determinação, aliado a conhecimentos são fundamentais.
JH: Modernizar é necessário?
LM: Produzir leite requer critérios, intensificar com qualidade é um. Conforto e sanidade são primordiais, óbvio que respeitando os limites orçamentais de cada um.

Foto: Silvano Carvalho Júnior

JH: Como fica a instabilidade da economia para você que está sempre em busca do crescimento?
LM: Infelizmente se não houver uma política digna voltada a valorização do produto leite, comprometimento e transparência, cada vez mais será difícil produzir. A mudança do cenário que envolve o leite é necessária e urgente.

JH: Como os serviços realizados pela Associação Mineira agregam no dia a dia da fazenda?
LM: Realizo todos os serviços prestados pela Associação Mineira e destaco o Serviço de Controle Leiteiro que é realizado pelo técnico Adílio Rosário. Com o resultado, atuo diretamente no manejo nutricional, identifico os melhores animais e conheço as vacas que naquele momento, não estão contribuindo para melhores resultados da fazenda, me colocando em sinal de alerta para reverter a situação. Utilizo também o sistema de Classificação para Tipo como ferramenta de acasalamento e principalmente identificando se está havendo evolução em determinadas famílias de vacas, além de ser critério para evolução de PC para PO.

JH: Quais os conselhos para aqueles que estão começando?
LM: Tenham persistência, busquem sempre conhecimentos dos que estão à frente, trabalhem duro e de forma honesta que os frutos com certeza virão.

JH: Enfim, produzir leite é…..
LM: Ter amor, conhecer os limites, acreditar no amanhã e vencer!