Conselho no Paraná atualiza valor de referência do leite

Conselho no Paraná atualiza valor de referência do leite

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Câmara técnica do Conselho atualizou parâmetros utilizados no cálculo do valor de referência que baliza as vendas de leite entre produtores e agroindústrias do Paraná.

O valor de referência para o preço do leite no Paraná está sendo atualizado. No dia 22 de outubro, o Conseleite-PR (conselho paritário que reúne produtores e indústrias de laticínios do Paraná) esteve reunido, na sede da FAEP, em Curitiba, para discutir a atualização dos parâmetros utilizados para o calcular o valor de referência do produto. Mensalmente, o Conseleite-PR divulga o valor do leite padrão, que serve como base nas negociações entre produtores e indústrias de laticínios.

O sofisticado modelo de cálculo do Conseleite-PR, elaborada por professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), não mudou, nem os itens analisados. A rigor, a mudança decore da atualização dos índices zootécnicos das propriedades modais (aquelas representativas para os cálculos nos quatro sistemas de produção característicos das propriedades paranaenses), dos custos de produção dentro da porteira e dos custos de captação e de comercialização de leite e derivados. Também os custos de fabricação dos derivados passaram por atualização.

Vale lembrar que essa atualização deve ser feita naturalmente de tempos em tempos, para que o valor apresentado reflita a realidade diária das propriedades rurais e das agroindústrias.

A medida tem como objetivo aproximar o valor de referência daquilo que é de fato praticado pelo mercado. “Esse modelo [do Conseleite-PR] tem dois conjuntos. O primeiro com variáveis que são os preços e volumes de vendas das indústrias, que mudam toda semana. O segundo conjunto são os parâmetros, que em geral, não mudam. Nesse caso, nós revisamos um destes parâmetros, que é a participação da matéria-prima”, explica a professora da UFPR Vânia Guimarães, responsável pelos trabalhos técnicos do Conseleite-PR.

No dia 22 de outubro, o conselho divulgou nota técnica informando a aprovação dos estudos da Câmara Técnica do Conseleite-PR para a atualização dos parâmetros. “Essa revisão traz o valor de referência para mais próximo daquilo que é praticado no mercado. Então, ele está mais ‘colado’ aos preços efetivamente recebidos pelos produtores. Isso tem um aspecto de credibilidade, dá mais confiança”, pontuou Vânia. Segundo ela, a proposta é que futuramente estes parâmetros sejam atualizados a cada dois anos.

De acordo com o presidente do Conseleite-PR, Ronei Volpi, a atualização é bem-vinda. “Traz bastante tranquilidade, melhora a credibilidade do Conselho. A Universidade continuou com o pilar importante que é a confiabilidade da indústria, no que se refere ao uso de dados sigilosos para estes cálculos”, afirma.

O vice-presidente do Conselho, Wilson Thiesen, ratifica a atualização, além de destacar a necessidade de divulgar essas informações. “Seria importante promover uma ampla divulgação, para que o setor conheça a profundidade, a seriedade e a transparência deste trabalho que foi feito”, diz.

Para que produtores e indústrias não sejam surpreendidos com esta atualização, a mudança será gradual. Nos últimos três meses do ano (outubro, novembro e dezembro) serão divulgados valores conforme os novos parâmetros e também de acordo com os parâmetros anteriores, para que aqueles que utilizam o valor de referência possam aos poucos se ajustar. A partir de janeiro de 2020, será divulgado apenas o valor atualizado.

Segundo Vânia, a atualização é importante para corrigir algumas distorções que se agravam ao longo do tempo. “Nesses 10 anos, os custos do lado dos produtores rurais cresceram mais do que os das indústrias. Também colaborou para a entrada de novas empresas neste mercado”, observa.

Estabilidade após queda

Entre os meses de agosto e setembro, o valor de referência do leite no Paraná caiu 4 centavos. Esta queda foi puxada por três itens: o leite UHT, cujo valor sofreu queda de 5,6% em relação ao mês anterior; o leite em pó, que caiu 6,3% no período; e do queijo muçarela, cuja queda registrada foi de 1,6%.

Já de setembro para outubro, o valor de referência ficou praticamente estável. O leite UHT caiu mais 3,2%, porém, o leite em pó se recuperou, subindo 2,2%, e o queijo prato também registrou alta de 2,3%, mantendo o valor de referência no nível da estabilidade.

Sistema FAEP/SENAR-PR

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.