Curral bem cuidado é sinônimo de eficiência no manejo e lucro no...

Curral bem cuidado é sinônimo de eficiência no manejo e lucro no bolso

Crédito-para-Wisley-Torales
Foto: Wisley Torales

Construção inadequada pode pôr em risco os animais, operadores e ainda comprometer os resultados da propriedade

O curral é sem dúvidas um dos locais mais importantes de uma fazenda. Independentemente do tamanho da propriedade ou atividade exercida, é por lá que obrigatoriamente vai passar cada um dos animais do rebanho.

Apesar de ser uma ferramenta muito importante, às vezes recebe pouca atenção. Com isso, o que deveria oferecer conforto e comodidade, acaba se tornando uma verdadeira armadilha, gerando estresses, lesões e principalmente, grande prejuízo econômico.

Este tipo de problema é bem antigo e surgiu no passado, quando era comum reutilizar matérias-primas da própria fazenda para fazer às estruturas dos currais, ficando as madeiras desproporcionais para o tipo de estrutura.

Outro agravante é que essas estruturas eram confeccionadas de forma padrão, copiadas de alguma propriedade vizinha, não levando conta o tipo de atividade, independente se a fazenda tinha vocação para corte, ou leite, a estrutura era basicamente a mesma.

Hoje a recomendação é profissionalizar o curral, apesar de ainda encontrarmos em pequenas e médias propriedades, estruturas de currais construídas de forma amadora e não seguindo cuidados básicos e importantes no manejo. “O principal erro é não pensar na segurança do animal e do funcionário que irá trabalhar dentro dele, deixando de lado todos os requisitos importantes para a instalação, utilizando materiais e mão de obra de forma incorreta sem a orientação de um especialista”, diz Ailton Baraviera, técnico da ACB Baltec Tronco & Balanças de Araçatuba/SP.

Cuidados Importantes

O primeiro ponto que deve ser levado com conta para a construção de um curral é a questão bem-estar animal. Bovinos estressados ou machucados vão comprometer o desempenho produtivo da fazenda e a qualidade da carne quando chegar ao frigorífico, gerando consequentemente grandes perdas.

Para evitar, é preciso planejar cautelosamente cada detalhe de um curral. Dentro dele está localizado o tronco/brete. O equipamento é utilizado especialmente para conter e imobilizar bovinos de forma individual e assim facilitar os diversos tratos zootécnicos e veterinários de manejo.

Entre eles: marcação, castração, coleta de sangue, vacinação, aplicação de medicamentos, inseminação artificial, verificação de prenhez, transferências de embriões, tratamento de cascos, exames clínicos, medição de circunferência escrotal, aplicação de brincos, entre outros serviços.

Este é um dos momentos mais tensos tanto para o animal quanto para o operador, por isso é preciso ferramentas eficazes e seguras. De acordo o técnico da ACB Baltec, a primeira coisa que o produtor deve pensar é em escolher um equipamento que atenda às suas necessidades e se possui qualidade e segurança.

“É preciso observar se o tronco possui um compartimento seguro para o técnico, sistema que trava a traseira do gado para o operador não levar coice e se o tronco tem o tamanho adequado para o manejo”, diz.

A ACB Baltec, por exemplo, que está no mercado a mais de 25 anos, oferece modelos fabricados sob medida a pedido de cada cliente. Um dos destaques é o tronco americano.

O equipamento contém uma pescoceira com parede móvel que é fundamental para a contenção do animal em trabalhos na região da cabeça e também facilita principalmente nos procedimentos de vacinação prevenindo assim sangrias e abcessos, o que resultam em menor sofrimento do animal, economia em vacina e medicamentos e evita traumas na carcaça.

“É importante também que o equipamento possua sistema de cambão permitindo imobilização total e segura do animal para os serviços e procedimentos. Assim evita que ele se machuque e permite que o operador trabalhe de forma eficiente e segura”, afirma Baraviera.

Dicas rápidas

Localização – Após a escolha do modelo do tronco outro ponto importante é a instalação e sua localização para facilitar ao máximo a movimentação dos animais.

O recomendável é que seja o mais centralizado possível, pois quanto menor for o percurso que os animais fizerem, menor será o estresse e o desgaste e consequentemente não afetará o ganho de peso. Para maior durabilidade do equipamento é recomendável que o brete seja instalado sob cobertura, para proteger os produtos veterinários e equipamentos ali presentes e também para dar maior conforto aos trabalhadores durante as atividades.

Também é fundamental que seja montado acima do nível do solo, para melhor durabilidade manutenção facilitando a limpeza.

Estrutura – o recomendável é que o piso seja construído em concreto e é necessária a instalação de uma passarela ao longo do tronco coletivo, para facilitar a condução dos animais dentro do curral. Para agilizar o manejo as paredes laterais devem ser todas fechadas, para induzir o animal ir sempre em frente em busca de uma saída.

Embarque – Um dos locais que precisa de muita atenção é o embarcador, pois é onde geralmente os animais estão mais expostos a estresse e leões. O ideal é que tenha paredes fechadas, rampa de acesso antiderrapante e, no final, uma plataforma em nível e ajustável à altura do caminhão.

Treinamentos – Mesmo que a fazenda siga todos os procedimentos acima de segurança e bem-estar animal, se a equipe de funcionários não estiver capacitada, o trabalho não terá resultados. Por isso é preciso manter os peões e operadores responsáveis pelo manejo sempre treinados, atualizados e periodicamente fazer cursos e reciclagens dos procedimentos de segurança e práticas corretas manejo racional.

Fonte: Rural Press

PARTILHAR

21 anos, Jales/SP.
Estudante de Jornalismo, fotógrafa e estagiaria em Assessoria de Imprensa.
Contato: jornalismo@comprerural.com