Custos de produção do confinamento caem em julho

Custos de produção do confinamento caem em julho

PARTILHAR
Confinamento
Confinamento na Fazenda Umari (PB) - Ourofino em Campo. Foto Divulgação

Valores dos insumos de alimentação e do boi magro tiveram redução no mês em São Paulo e Goiás

Os custos de produção do confinamento caíram em julho para todas as propriedades estudadas pelo Índice de Custo de Produção de Bovinos Confinados (ICBC). Para as de São Paulo, o recuo médio foi de 3%. O custo total da fazenda representativa grande (27.000 animais/ano) foi de R$ 143,73/@, enquanto o da média (3.000 animais/ano) ficou em R$ 144,56/@. Já para a propriedade de Goiás (16.500 animais/ano), o valor passou de R$ 139,34/@ para R$ 137,01/@. De acordo com o informativo, o comportamento é similar ao do mesmo período no ano passado.

Os custos diária-boi (CDB) também tiveram redução no mês. Os valores foram de R$ 9,19, R$ 9,07 e R$ 7,52 para os confinamentos de São Paulo médio, grande e de Goiás, nesta ordem.

A queda no custo da dieta contribuiu para o resultados. Apesar de o preço da polpa cítrica ter subido 16% entre junho e julho, o milho se desvalorizou nos dois Estados, assim como outros coprodutos, como os oriundos do algodão (farelo, torta e caroço), milheto e o sorgo grão.

“Os custos do boi magro (de doze arrobas, aproximadamente), outro importante insumo da atividade de confinamento, têm apresentado redução. No Estado de São Paulo, os preços médios do animal de reposição em julho foram de R$ 5,07, os menores desde janeiro deste ano, quando o quilo do animal foi de R$ 5,52”, explica o informativo. Confira o boletim completo em: https://bit.ly/2MbECJj.

Leia mais:

Entenda o Indicador

Para desenvolver o Índice, o pesquisador Gustavo Sartorello entrevistou 10 confinadores de São Paulo e nove de Goiás para, então, criar três propriedades confinadoras representativas: duas em SP (média e grande capacidade) e uma em GO. “Criei essas fazendas com características reais. Por exemplo, quais maquinários são usados, a potência, número de funcionários, mas não é uma média das propriedades”. Todos os meses, o Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal faz o levantamento de preços de insumos para atualizar os dados do indicador, que tem periodicidade mensal. “Minhas bases são Pirassununga, SP, e Acreúna, GO. Meus fornecedores são voltados para essas regiões. Tudo que está incluído na atividade, como palanque para cerca, arame liso, polpa cítrica, cordoalha, cocho, para tudo nós pesquisamos valores em pelo menos três empresas”, explica.

Planilha de custos

A FMVZ-USP também tem uma planilha de cálculo de custos de produção do confinamento (Entenda melhor o método e o indicador aqui). Quem quiser ter acesso à ferramenta e ao indicador pode acessar o site do LAE (http://paineira.usp.br/lae) ou mandar e-mail para lae-indicadores@usp.br ou gsartorello@gmail.com pedindo para receber o modelo de cálculo de custos e o boletim. Fornecedores que quiserem colaborar com o levantamento de preços de insumos também podem se cadastrar pelos e-mails acima.

Fonte: Portal DBO com FMVZ-USP.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com