Decisão de não sobretaxar aço chinês é positiva para disputa sobre frango

Decisão de não sobretaxar aço chinês é positiva para disputa sobre frango

PARTILHAR
Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo

Para a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), prevaleceu o bom senso na decisão da Câmara de Comércio de Exterior (Camex).

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) afirmou que a decisão da Câmara de Comércio de Exterior (Camex) de não sobretaxar o aço chinês deve influenciar positivamente as negociações entre brasileiros e chineses nas investigações do país asiático contra as exportações de carne de frango do Brasil.

Em nota, o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra, disse que prevaleceu o bom senso na decisão da Camex. “Conforme fontes nossas na Ásia, a possibilidade desta sobretaxa foi determinante para o início da infundada investigação contra o setor exportador de aves. O Brasil deve ser uma nação aberta ao comércio internacional, e não adotar medidas restritivas”, disse.

Iniciada em agosto de 2017, a investigação contra os exportadores de carne de frango partiu de acusação apresentada por produtores de aves chineses. A investigação incluiu também empresas que não exportam para a China.

Em 2017, a China foi responsável pelas importações de 9,2% do total de carne de frango embarcadas pelo Brasil, e de 7,1% das exportações de carne suína. O país foi destino de 391 mil toneladas de aves e de 48,9 mil toneladas de carne suína que, juntas, geraram US$ 861 milhões em divisas para a balança comercial brasileira.

Mais cedo, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviço (MDIC) divulgou nota afirmando que foi definida nesta quinta-feira (18/1) a aplicação do direito antidumping definitivo, por um prazo de até cinco anos, sobre as importações brasileiras de laminados a quente, originárias de empresas investigadas, e a suspensão da medida, em razão de interesse público. Na prática, segundo o MDIC, as importações do produto não serão objeto de pagamento de direito antidumping.

“A Camex esclarece que a suspensão do direito é uma medida de exceção, definida após análise de seu impacto na economia nacional. Em análise futura, com base no monitoramento de importações, poderá ocorrer a reversão da suspensão”, diz o governo na nota.

POR ESTADÃO CONTEÚDO

-- conteúdo relacionado --
Mapa vai lançar plano para aumentar exportações de... Está previsto para o próximo mês, o lançamento pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) do Plano Nacional de Desenvolvimento da...
CNC acredita que foi um ano de conquistas importan... Entidade destaca que o ano de 2017 foi marcado por avanços importantes na cafeicultura, como a eleição do brasileiro José Sette na OIC, reativação do ...

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com