Dilúvio estraga 119 mil hectares de lavouras, veja!

PARTILHAR
Foto: Divulgação

De acordo com o levantamento da Emater-MG, a maior parte do prejuízo no setor agropecuário foi na indústria de grãos e hortaliças; Confira abaixo os detalhes!

Cerca de 119 mil hectares de lavouras foram perdidos em Minas Gerais após as chuvas nos meses de dezembro e janeiro. De acordo com o levantamento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), a maior parte do prejuízo no setor agropecuário foi na indústria de grãos (74,5 mil hectares) e hortaliças (3,4 mil hectares ) ).

De acordo com as chuvas, 1127% do período chuvoso, que corresponde a 48% do estado. A cultura do milho verão registrou a maior quantidade: 37,5 mil hectares, ou 4% de toda a área cultivada no estado. Já a cultura do feijão primeira safra sofreu uma perda de 20,5 mil hectares, equivalente a 15% do total plantado.

“O Mineiro não só produtora ou milho maior foi porque as principais regiões, como as chuvas ou milho este não são maiores, tanto com as chuvas o maior ângulo não tanto com as chuvas como o milho. As maiores localizadas localizadas no Norte e na região Central, onde alguns em locais próximos a área foi superior a 60%”, explica o diretor-presidente da Emater-MG, Otávio Maia.

Em relação ao clima de produção principalmente da Região Metropolitana de Belo Horizonte, além das regiões Norte, Central e Leste de Minas. As culturas com a maior área perdida foram de alface, com 416 hectares; tomate, com 365 hectares; e quiabo, com 236 hectares.

No atacado, os preços das hortaliças subiram 21,2% e das frutas 4,4% na primeira quinzena de 2022, em comparação com o mesmo período de 2021, infomou a Ceasaminas entreposto de Contagem.

“O importante para o consumidor, é não cair na especulação e pesquisar os preços no mercado de pesquisa, aproveitando como promoções e valores mais atrativos. Além disso, as mudanças de preços que são comuns nesta época, por causa da sazonalidade de alguns produtos”, alerta Maia.

Café e leite

De acordo com a Emter-MG, não foram observados de cafés observados nas lavouras. Os principais problemas devem refletir na colheita que foram provocadas por outras questões climáticas, em 2021, como a geada em julho.

No caso da produção de leite, o levantamento feito em 96 laticínios do estado mostrou que 9% da captação do produto foi prejudicada pela causa da situação das estradas. Porém, com redução das chuvas, uma distribuição foi normalizada nas diferentes regiões, apenas com dificuldades de circulação de veículos para transporte de pessoas com capacidade de produzir uma captação do estado total.

Plano Recupera Minas

O governo estadual lançou os recursos “Plano Recupera que destinará R$ 603 milhões e chuvas estaduais para ações na área de infraestrutura de suporte às pessoas e cidades de apoio às pessoas e 603 milhões de estados pelas forças no estado”. 

O Plano foi elaborado após o governo ouvir as prefeituras e atingidos, mapear as principais demandas e realizar para garantir a viabilidade das ações. A Emater-MG elabora, gratuitamente, laudos técnicos para controlar com precisão como muitas vezes familiares algumas delas.

Fonte: Emater/MG

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.