Economista prevê melhora na demanda chinesa por lácteos

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Os preços dos leilões de lácteos em 15 de novembro subiram, quebrando uma sequência de três quedas consecutivas de preços.

Uma recuperação na economia chinesa deve se traduzir em uma melhora na demanda de lácteos no próximo ano, disse Nathan Penny, economista agrícola sênior da Westpac Nova Zelândia, acrescentando: “Esperamos que a economia chinesa cresça 6% em 2023, com relação a apenas 3,5% durante 2022.”

Os preços dos leilões de lácteos em 15 de novembro subiram, quebrando uma sequência de três quedas consecutivas de preços. Os preços gerais subiram 2,4%, enquanto os principais preços do leite em pó integral registraram um aumento de 3,1%. Os preços gerais e de leite em pó integral permaneceram 18% e 19% menores, respectivamente, com relação ao mesmo período do ano anterior, aponta Penny.

Os preços do leilão variaram de acordo com o produto, com três produtos apresentando alta e três apresentando queda. Os preços do leite em pó desnatado aumentaram em 3,1%, assim como os preços do leite em pó integral, enquanto os preços da gordura anidra do leite (AMF) aumentaram em 2,7%.

Juntos, leite em pó desnatado, leite em pó integral e gordura anidra do leite representaram 87% do produtos vendidos, o que resultou no aumento geral de preço de 2,4%.

“Esse resultado foi melhor do que nossas expectativas e a expectativa do mercado de um resultado praticamente estável”, enfatiza Penny. “O resultado positivo veio após uma flexibilização das restrições causadas pela Covid na China. A demanda chinesa por lácteos enfraqueceu progressivamente ao longo do ano devido à fraca economia chinesa”.

Crescimento na economia

Penny disse que o recente afrouxamento das restrições relacionadas à Covid na China pode sinalizar uma abordagem mais pragmática sendo adotada pelas autoridades chinesas. “Havíamos previsto que esse seria o caso em algum momento e, com base nisso, esperamos que a economia chinesa cresça 6% em 2023, de 3,5% em 2022”.

A recuperação da economia chinesa e as restrições mais brandas relacionadas à Covid devem se traduzir em uma melhora na demanda chinesa por lácteos ao longo do próximo ano, espera Penny.

As expectativas confirmam a previsão de preço do leite em 2022-2023 da Westpac em NZ$ 8,75 (US$ 5,49) por quilo de sólidos de leite, o que equivale a NZ$ 0,72 (US$ 0,45) por quilo de leite. “Ao mesmo tempo, o relaxamento nas restrições chinesas relacionadas à Covid e a alta nos preços da noite para o dia são um bom presságio para nossa previsão de NZ$ 10,00 (US$ 6,28) por quilo de sólidos do leite [NZ$ 0,82 (US$ 0,51) por quilo de leite] de para 2023-2024”, disse Penny.

A Australian Dairy Farmers Corporation (ADFC) aumentou o preço que paga aos fornecedores. É um dos primeiros processadores a aumentar o preço nesta temporada. Até agora, poucos processadores ofereceram qualquer alteração nos preços na Austrália.

Considerando a data retroativa do início de julho, uma média de AUS$ 9,90 (US$ 6,68) por quilo de sólidos de leite [AUS$ 0,82 (US$ 0,55) por quilo de leite] será paga aos fornecedores da ADFC durante a temporada 2022-2023.

Preço do leite

Embora os preços do leite estejam melhorando, o aumento dos custos de insumos está pressionando os produtores e processadores, disse Stephen Sheridan, o novo executivo-chefe da Australian Dairy Farmers, à mídia australiana.

“O custo dos insumos inclui escassez de mão de obra, preços de energia, fertilizantes, eletricidade, gás para os processadores e os custos de ração, que foram afetados pelas enchentes. Tudo isso está impactando os custos de insumos e, por sua vez, afetando a lucratividade. A inflação e as taxas de juros são um problema em toda a agricultura, mas principalmente nas fazendas leiteiras, por terem um uso intensivo de energia”.

De acordo com as perspectivas de curto prazo para os mercados agrícolas da União Europeia (UE), o clima quente e seco durante o verão piorou a disponibilidade e qualidade da pasto na Europa, além de menores rendimentos das principais culturas utilizadas para alimentação animal.

Muitos produtores já usavam parte de sua ração de inverno no verão, levando a um menor crescimento da produtividade (0,4%) e a uma maior redução do rebanho (-0,9%). Espera-se que a produção de leite da UE caia (-0,5%) em 2022. As exportações de lácteos da UE também devem cair (-7%) devido às perdas no leite em pó.

Em 2023, o início do ano pode permanecer desafiador para os produtores da Europa, devido aos altos custos dos insumos e uma demanda provavelmente mais fraca. Assumindo condições climáticas normais, espera-se que o crescimento da produção seja um pouco maior (0,6%) e compense uma maior redução do rebanho leiteiro (-0,8%).

Fonte: MilkPont

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). 🚜🌱 Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com