Embrapa lança 4 cultivares de soja mais produtivas

PARTILHAR
Foto: Divulgação

As quatro cultivares de soja são resultado do programa de melhoramento genético da Embrapa, e são mais produtivas para regiões produtoras do Brasil Central.

Uma cultivar de soja convencional e três transgênicas (uma com a tecnologia RoundUp Ready® e duas com a tecnologia IPRO®) com alto teto produtivo, adaptabilidade e indicação para regiões produtoras do Brasil Central, incluindo Mato Grosso e o MATOPIBA, serão lançadas pela Embrapa, por meio da Embrapa Cerrados (DF) e da Embrapa Soja (Londrina, PR), na próxima quinta-feira (4), às 14h. O evento será on-line, com transmissão pelo canal da Embrapa no Youtube. Acesse o link para o lançamento web das cultivares: https://youtu.be/FZz3wzsreLA.

As cultivares BRS 7582, BRS 7080IPRO, BRS 7482RR e BRS 8383IPRO são resultado do programa de melhoramento genético da Embrapa, que busca desenvolver e disponibilizar aos produtores cultivares de soja com elevado teto produtivo, estabilidade de produção, sanidade e ampla adaptabilidade às diversas regiões produtoras de grãos do Cerrado, possibilitando uma produção sustentável, com mais renda e desenvolvimento da agricultura. O desenvolvimento das cultivares teve como parceiros a Fundação Cerrados e a Fundação Bahia.

Sebastião Pedro, chefe geral da Embrapa Cerrados, explica que as novas cultivares têm como diferencial características que garantem a renda do produtor e, em consequência, a sustentabilidade do sistema. “São variedades com potencial e adaptação. Elas otimizam o uso dos insumos, sendo eficientes, por exemplo, quanto ao uso de fertilizantes e às novas tecnologias que estão chegando ao mercado”, afirma. “Devido à alta defensividade contra pragas e doenças, conseguem produzir sem depender muito de defensivos agrícolas”, completa.

Os novos materiais genéticos foram testados em diversos pontos e ambientes do Centro-Norte do Brasil e expressam grande tolerância ao estresse hídrico e ao calor da região, onde estão localizados importantes polos produtores de soja do Mato Grosso, da Bahia, do Tocantins, do Piauí e do Maranhão. Além disso, algumas das cultivares apresentam características adequadas à produção da safrinha em Goiás, em Minas Gerais e no Distrito Federal. 

Alexandre Nepomuceno, chefe geral da Embrapa Soja, destaca que as novas cultivares reforçam o portfólio de soja da Embrapa para a região dos Cerrados e combinam produtividade com soluções que facilitam o manejo para o produtor.

“Com bases de melhoramento em Londrina, Santo Antônio de Goiás e no Distrito Federal, o programa de melhoramento de soja da Embrapa está focado no desenvolvimento de novos materiais que efetivamente trazem impactos no planejamento dos diferentes sistemas de produção, trazendo alternativas com cultivares com precocidade, resistência a nematoides e outras doenças e diferentes plataformas convencionais, RR e Intacta”, explica.

O evento de lançamento web contará com a participação dos chefes gerais da Embrapa Cerrados e da Embrapa Soja, além dos presidentes da Fundação Cerrados, Luiz Fiorese, e da Fundação Bahia, Zirlene Zution. As novas cultivares serão detalhadas por Sebastião Pedro, que é pesquisador na área de melhoramento genético e coordenador do programa de melhoramento genético de soja da Embrapa para o Centro-Norte do Brasil.

Quem acompanhar a transmissão vai conhecer, ainda, como funcionam algumas das pesquisas que compõem o programa de melhoramento genético da soja da Embrapa. O pesquisador Carlos Arrabal, da Embrapa Soja, fará palestra sobre o desenvolvimento inicial das cultivares de soja da Empresa, enquanto André Ferreira, pesquisador da Embrapa Cerrados, vai mostrar como as novas variedades são selecionadas, em campo, no Bioma Cerrado.

Atuantes nas diferentes regiões sojícolas do Centro-Norte do País, os pesquisadores Roberto Zito e Odilon Lemos (Embrapa Soja), Vicente Gianluppi (Embrapa Roraima), Geraldo Carneiro (Embrapa Cerrados) e o técnico Nilton de Almeida (Embrapa Cerrados) vão falar sobre os materiais convencionais e transgênicos avaliados em cada uma dessas regiões, bem como os principais objetivos regionais do programa de melhoramento genético da soja da Embrapa. 

Por fim, Ilson Alves, diretor técnico da Fundação Cerrados, e Nilson Vicente, diretor executivo da Fundação Bahia, vão falar sobre a promoção e a comercialização das sementes das cultivares de soja, além das ações de transferência de tecnologia no âmbito da parceria com a Embrapa.

Os participantes da transmissão ao vivo poderão encaminhar comentários e dúvidas no chat, que serão respondidos no final do evento.

Sobre as novas cultivares

A BRS 7582 é uma cultivar convencional (não transgênica) de tipo de crescimento indeterminado e ciclo precoce, com grupo de maturidade 7.5 e ciclo de 100 dias no Mato Grosso, 107 na Bahia e 115 no Distrito Federal e nas regiões de adaptação em Minas Gerais e Goiás, o que permite o cultivo de uma segunda safra.

É indicada para as latitudes, altitudes e condições de temperatura e precipitação pluviométrica predominantes nas regiões edafoclimáticas (REC) 301 (GO), 304 (GO e DF), 401 (MT), 402 (MT) e 405 (BA). Por ser uma variedade convencional, atende às exigências de mercados de grãos que pagam prêmio pela não transgenia. 

Com elevado teto produtivo, a BRS 7482RR é uma cultivar transgênica, tem resistência ao herbicida glifosato, tipo de crescimento indeterminado e ciclo precoce (grupo de maturidade 7.4), variando de 105 a 112 dias, o que permite segunda safra nas regiões de indicação.

É resistente às principais doenças da soja, com especial destaque para a resistência ao nematoide de cisto da soja (Heterodera glycines) raças 1 e 3. Além disso, por ser uma soja RR, pode ser utilizada como refúgio no manejo da tecnologia IPRO. É indicada para as REC 301 (GO), 303 (MG e GO), 304 (DF) e 405 (BA).

De grupo de maturidade relativa 6.1, a BRS 7080IPRO é uma cultivar transgênica de tipo de crescimento indeterminado e ciclo superprecoce, variando de 95 a 100 dias, o que viabiliza o plantio de culturas em sucessão em toda a região de adaptação. Apresenta moderada resistência ao nematoide causador de galhas Meloidogyne javanica, muito relevante nas REC 301 (GO), 304 (DF) e 405 (BA), para onde está indicada.

Por trazer expressa a proteína Bt (Intacta RR2 PRO®), oferece proteção contra as principais lagartas da cultura da soja: lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis), lagarta falsa medideira (Chrysodeixis includens e Rachiplusia nu), lagarta das maçãs (Heliothis virescens) e broca das axilas ou broca dos ponteiros (Crocidosema aporema), além de supressão às lagartas do tipo Elasmo (Elasmopalpus lignosellus) e Helicoverpa (H. zea e H. armigera), além da tolerância ao herbicida glifosato. 

Com elevado teto produtivo e estabilidade, a cultivar BRS 8383IPRO pertence ao grupo de maturidade 8.3, com ciclo de 108 dias no Mato Grosso, 119 na Bahia,125 no Distrito Federal e em Goiás e 135 dias em Minas Gerais, e tipo de crescimento indeterminado. Oferece tolerância ao herbicida glifosato e proteção contra as principais lagartas da cultura da soja.

Tem moderada resistência ao nematoide causador de galhas Meloidogyne incognita, de grande ocorrência em áreas de algodão, sendo, portanto, uma ferramenta importante para o manejo desse nematoide em áreas de produção na Bahia, principalmente. É indicada para as regiões de plantio no MATOPIBA (Cerrado do Maranhão, do Tocantins, do Piauí e da Bahia) e em Mato Grosso.

As sementes dessas cultivares podem ser adquiridas junto a empresas sementeiras integrantes da Fundação Cerrados (61-99649-6967 / 3387-9219 / 3387-4175) e da Fundação Bahia (77-99822-8593).

Fonte: Embrapa

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com