Embrapa lança na Expointer a régua de manejo de pastagem

Embrapa lança na Expointer a régua de manejo de pastagem

PARTILHAR
Pastejo de BRS Zuri
Foto: Divulgação NCO / Embrapa

São tecnologias que dão respaldo para o dia a dia do produtor rural, afirma o diretor-executivo, Cléber Soares

Duas tecnologias para a pecuária foram lançadas nesta segunda-feira (27/08) pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), durante evento realizado na 41ª edição da Expointer.

O novo Índice Bioeconômico de Carcaças (IBC) e a Régua de Manejo de Pastagens BRS Sul ajudam o pecuarista a qualificar sua produção, com garantia de renda e eficiência produtiva. Também foram assinados três contratos de cooperação técnica para as cadeias de implementos agrícolas, da carne e do lúpulo.

Seis publicações foram lançadas: Uso da Terra no RS – ano de 2017; Rede Leite: Pesquisa-Desenvolvimento em Sistemas de Produção com Pecuária de Leite na Região Noroeste do RS; Prioridades e Demandas da Pecuária de Corte Brasileira; Manual de Cortes de Carne Ovina; Anuário do Leite 2018; e Cartilha do Agricultor – Micotoxinas no Trigo.

Conforme o diretor-executivo de Tecnologia e Inovação da Embrapa, Cléber Soares, as tecnologias apresentadas ao público representam bem a missão da empresa, de levar conhecimento e inovação para o campo. “São tecnologias que dão respaldo para o dia a dia do produtor rural, como a régua de manejo de pastagens, ferramenta simples, mas de importância vital para o produtor manejar adequadamente o momento de entrada e saída do animal no pasto, tanto para a pecuária de corte como de leite. Até tecnologias como o Índice Bioeconômico de Carcaças, com grande importância para a qualidade de carcaças e qualidade da carne bovina”, destacou.

O diretor técnico do Sebrae-RS, Ayrton Ramos destacou a parceria da instituição com a Embrapa, com diversos projetos conjuntos para o fortalecimento da agropecuária no Rio Grande do Sul. “Estamos trabalhando de forma conjunta com diversas instituições através do programa Juntos para competir, no sentido de passar ao público todo o conhecimento daquilo que esteja dentro desse tema do campo à mesa”, disse ao ressaltar a importância de que os consumidores compreendam melhor os diversos fatores envolvidos na produção dos alimentos.

IBC

O IBC é uma tecnologia desenvolvida pela Embrapa Pecuária Sul e Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC) e permite a avaliação de desempenho dos reprodutores quanto à capacidade de produzir descendentes com alta probabilidade de enquadramento em programas de carne premium e, por consequência, maior remuneração pela indústria frigorifica. O IBC foi desenvolvido por meio de um modelo estatístico que relaciona as características de crescimento dos animais com suas medidas obtidas por ultrassonografia in vivo e com os resultados de medições de seus descendentes.

Segundo o pesquisador da Embrapa Fernando Cardoso, o índice representa o valor em reais (R$) agregado nas carcaças dos filhos de um determinado reprodutor em relação a um touro médio da raça. “A grande vantagem é que o criador tem chance de escolher genética taurina com foco em agregar valor aos terneiros”, salientou. O touro líder em IBC do Sumário da ANC 2018/2019, por exemplo, tem capacidade de gerar terneiros 6% mais valorizados do que a média.

A ideia é que o índice sirva para embasar decisões de seleção do criador que busca produzir genética com foco no mercado de carne premium e também auxiliar o produtor de terneiros que, por meio de inseminação artificial, busca sêmen para obter rebanhos mais carniceiros e de valor diferenciado. A coordenadora do Promebo, Fernanda Kuhl, informa que o novo indexador não representa custo adicional aos criadores, mas traz ganhos inestimáveis aos rebanhos. “É uma nova forma de ver a seleção de bovinos de corte, com foco no mercado”, pontuou.

Régua de Manejo

Régua de manejo de pastagens BRS Sul permite tomar decisões rápidas quanto ao ajuste da carga animal em uma determinada pastagem. Simplifica o manejo e otimiza o uso da pastagem, levando a ganhos de produtividade para a pecuária, tanto de bovinos de leite como de corte, e também para equinos e ovinos, em situação de pastejo contínuo ou rotacionado. A vantagem da régua de manejo é já conter as medidas ideais para cada espécie forrageira, com as alturas de entrada e saída de pastejo ou corte. A tecnologia é resultado do trabalho conjunto entre as Unidades Clima Temperado, Gado de Leite, Milho e Sorgo, Pecuária Sul e Trigo.

“A régua de manejo de pastagens BRS Sul tem como objetivo facilitar o manejo das pastagens. Ela traz um conjunto de cultivares da Embrapa que foram recomendadas para a região Sul do Brasil e traz as alturas de entrada e saída dos animais nessa pastagem, também para evitar um erro que a gente comete muito seguido, que é o sobrepastejo, ou seja, acabar sacrificando as plantas e o rebrote da pastagem por deixar os animais tempo demais ou por deixar uma lotação muito alta”, explicou a pesquisadora da Embrapa, Andréa Mittelmann.

Outros Lançamentos

Também foram apresentadas ao público da Expointer durante o evento de lançamentos da Embrapa outras seis novas publicações:

Manual de Cortes de Carne Ovina – apresenta diferentes tipos de cortes da carcaça ovina, em peças/porções menores e individualizadas que, por sua vez, facilitam a comercialização, conservação em nível doméstico e preparação para consumo. O manual traz também sugestões de preparo da carne ovina.

Uso da Terra no Rio Grande do Sul – apresenta informações sobre modificações no uso da terra no estado, baseado em imagens obtidas por monitoramento de satélites. O trabalho mostra uma informação mais atualizada das mudanças que acontecem no território gaúcho e suas diferentes mesorregiões.

Pesquisa sobre Prioridades da Pecuária Brasileira – apresenta os resultados iniciais de uma pesquisa inédita sobre as prioridades da pecuária de corte brasileira. O item custos de produção foi elencado como o mais prioritário pelos participantes do levantamento, que contou com 1630 respondentes de todos os estados brasileiros.

Cartilha do Agricultor – Micotoxinas no Trigo – apresenta orientações sobre as exigências da legislação e boas práticas agrícolas na cadeia produtiva do trigo.

Rede leite: pesquisa-desenvolvimento em sistemas de produção com pecuária de leite na região noroeste do Rio Grande do Sul – apresenta a experiência do trabalho de pesquisa realizado em sistemas de produção em pecuária de leite em 41 municípios da região Noroeste do Rio Grande do Sul.

Anuário do Leite 2018 – apresenta indicadores, tendências e oportunidades para a cadeia produtiva leiteira.

Convênios

A Embrapa firmou convênios com três empresas durante o ato: com o frigorífico Marfrig, para desenvolvimento de ações conjuntas visando o desenvolvimento da pecuária brasileira com enfoque na carne carbono neutro ou de baixo carbono; com a Agropecuária Krussler Eireli, para o desenvolvimento de trabalhos de pesquisa na cadeia do lúpulo; e com a Limana Poliserviços, para o desenvolvimento de máquinas e equipamentos para o sistema de produção da cana-de-açúcar.

Fonte: Embrapa

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com