Estados Unidos libera plantio de lavouras em reservas ambientas

PARTILHAR
trabalhadorrural
Foto: Divulgação

Agricultores foram autorizados a retirar terras dos contratos federais de conservação em meio à crise global de alimentos, permissão veio direto da USDA

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) permitirá que os agricultores que fazem parte dos contratos federais de conservação de terras rescindam voluntariamente seus contratos e plantem nessas terras, a fim de ajudar a mitigar a crise global de alimentos, disse a agência de notícias Reuters.

A oferta está aberta a agricultores no último ano de seu contrato com o Programa de Reservas de Conservação (CRP) da agência, disse o USDA em seu site. Grupos de ajuda humanitária alertaram que a fome global aumentará este ano, já que a guerra na Ucrânia e a seca alimentada pelas mudanças climáticas elevaram os preços globais de grãos, óleo de cozinha, combustível e fertilizantes.

Apenas um ano atrás (quando os preços dos grãos já estavam em máximas de primavera de vários anos), o USDA estava tentando adicionar mais acres ao CRP no curto e no longo prazo para fins de mitigação climática.

“Os participantes aprovados para esta rescisão voluntária única não terão que pagar os pagamentos de aluguel… para ajudar a mitigar os desafios globais de fornecimento de alimentos causados ​​pela invasão russa da Ucrânia e outros fatores”, segundo o comunicado da agência.

Se aprovado, o agricultor pode começar a preparar a terra para o plantio já nesta safra 2022/2023 e plantar as sementes de outono antes de 1º de outubro de 2022, disse a agência. “Para terras em climas mais frios, essa flexibilidade pode permitir um melhor estabelecimento de uma safra de trigo de inverno ou preparar melhor a terra para o plantio de primavera”, disse o USDA.

A medida ocorre quando os legisladores federais pediram ao governo Biden que permita que os agricultores plantem hectares conservados nesta primavera em resposta à invasão russa da Ucrânia.

Nesta primavera, grupos agrícolas pediram ao secretário de Agricultura, Tom Vilsack, que permitisse que os agricultores plantassem nos mais de 4 milhões de acres (1,6 milhão de hectares) de “terras agrícolas nobres” atualmente inscritas no CRP.

Tradução via CompreRural. Reportagem de PJ Huffstutter em Chicago; Edição de David Gregorio

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.