PARTILHAR

Associações genéticas e fenotípicas entre a reatividade na ordenha, características produtivas e de saúde em vacas da raça Gir e Girolando.

Estudo que tem resultado preliminar está sendo desenvolvido em várias fazendas leiteiras do país, o trabalho é do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal (Grupo ETCO) e da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP, campus de Jaboticabal-SP do departamento de Zootecnia. Segue abaixo o relatório da Fazenda Gramado de Corumbá de Goias (GO) do produtor José Luiz Costa.

Com este estudo espera-se desenvolver ferramentas que permitam a avaliação sistemática da reatividade de vacas das raças Gir e Girolando em lactação,estabelecendo instrumentos práticos para promover a seleção dessa característica em programas de melhoramento genético das raças. Além disso, objetiva-se estimar a associação genética e fenotípica da reatividade com características de interesse econômico para o setor leiteiro, tais como aspectos produtivos e de saúde dos animais.

fazenda-gramado-gir-e-girolando
Foto: Fazenda Gramado

Objetivo das visitas

Realizar a avaliação de temperamento na ordenha das vacas em lactação pertencentes ao rebanho da na Fazenda GRAMADO que irão integrar o estudo intitulado: “Associações genéticas e fenotípicas entre reatividade na ordenha e características produtivas, reprodutivas e de saúde em vacas da raça Girolando”. Ao final das coletas de dados, objetivamos disponibilizar informações relevantes à equipe técnica da Fazenda, relacionadas a aspectos gerais do manejo de ordenha.

Descrição resumida da metodologia

Ao longo dos meses de Setembro, Outubro e Novembro de 2018 foram realizadas oito avaliações de temperamento na ordenha de 70 vacas com média de 132,76 ± 84,41 dias de lactação. A descrição da composição genética destes animais está apresentada abaixo.

descricao-do-rebanho-da-fazenda-gramado
Fonte: Autor

Para todas as Fazendas integrantes do presente projeto, preconiza-se que durante a ordenha da manhã sejam obtidas as medidas comportamentais (indicadoras do reatividade na ordenha) no momento da preparação e limpeza do úbere (pré-dipping) e,posteriormente, na colocação da teteira (totalizando 2 medidas por animal por avaliação). Nesses momentos são avaliadas as seguintes características de cada vaca:

(a) Escore de reatividade na ordenha: nessa avaliação é atribuído um escore visual para a movimentação das patas traseiras de cada animal no momento do contato dos manejadores durante o pré-dipping (REAP) e a colocação das teteiras (REAC), sendo:

  1. Animal totalmente parado, não movimenta nenhuma das patas e nem o corpo. Demostra relaxamento com relação ao contato do ordenhador;
  2. Animal permanece com as patas paradas, porém esticadas, pode também apresentar arqueamento de coluna no momento de contato com o ordenhador;
  3. Movimento suave com uma pata até 15 cm do solo. Demonstra estar se posicionando melhor com relação ao contato com o ordenhador;
  4. Movimento suave, devagar e alternado em até 15 cm do solo das patas;
  5. Movimento vigoroso, rápido e alternado das patas traseiras ou dianteiras, batendo forte no chão, “sapateio”;
  6. Movimento muito vigoroso, rápido e alternado das patas traseiras ou dianteiras, animal balança o corpo, agita as orelhas, o rabo e a cabeça durante o contato com o ordenhador;
  7. Animal dá coice no manejador;
  8. Animal que precisa ser amarrado, a ordenha só é realizada se for utilizado peia/ Se movimenta vigorosamente durante todo o procedimento e não permite a colocação da teteira, demonstrando alta resistência à realização dos procedimentos;

(b) Número de passos e coices: Durante a preparação do úbere e, posteriormente, na colocação das teteiras é quantificado o número de passos e coices que cada animal apresenta em resposta ao contato físico com o manejador/equipamentos.

Além disso, durante o período de observação também é registrado, individualmente, a (c) ocorrência de ruminação e a (d) aplicação de ocitocina exógena com o objetivo de estimular a descida do leite residual.

fazenda-gramado-gir-e-girolando
Foto: Fazenda Gramado

Como particularidade da Fazenda Gramado, a qual realiza o manejo das vaca sem lactação com a presença do bezerro (“bezerro ao pé”), sem o procedimento do pré-dipping e com alimentação de concentrado na ordenha, vale ressaltar que para o presente estudo só foi possível avaliar a reatividade dos animais durante a colocação da teteira (REAC). Além disso, como os animais estão se alimentando no momento da avaliação, não foi possível observar a ocorrência de ruminação durante a ordenha (indicador positivo de conforto dos animais). Na fazenda GRAMADO não há a aplicação de ocitocina exógena o que consideramos positivo para o bem-estar das vaca sem lactação.

fazenda-gramado-gir-e-girolando
Foto: Fazenda Gramado

Resultados preliminares específicos da Fazenda Gramado

A frequência de animais em cada escore de reatividade, avaliado durante a colocação das teteiras (REAC), é apresentada a seguir:

escore-de-reatividade-durante-colocacao-das-teteiras
Fonte: Autor

Animais com reatividade na ordenha maior ou igual a 5 são consideradas vacas reativas, ou seja, animais que dificultam o manejo de ordenha, podendo provocar perturbações ao manejador na rotina de trabalho. Na Fazenda GRAMADO somente 3,85% das vacas receberam nota igual a 5 e nenhum dos animais avaliados recebeu as notas 6, 7 ou 8. Mais da metade dos animais (62,64%) foram consistentemente avaliados como 1, ou seja, animais calmos durante a ordenha.

Os pesquisadores complementaram que o bom comportamento deve-se, além da seleção que é feita na fazenda, ao fato de haver fornecimento de concentrado durante a ordenha e também da presença do bezerro próximo, deixando as vacas bastante relaxadas.

fazenda-gramado-gir-e-girolando
Foto: Fazenda Gramado

De modo geral, os animais da Fazenda GRAMADO foram classificados como calmos, de acordo com a escala de avaliação utilizada. É importante ressaltar que os animais com nota maior ou igual a 5 são os animais com maior potencial para causar problemas de manejo. Além disso, é comprovado cientificamente (pesquisas realizadas inclusive com animais da raça Girolando) que as vacas mais reativas produzem leite em menor quantidade e de pior qualidade, sendo positivo o resultado encontrado no rebanho da propriedade. Com relação ao número de passos e coices, quando comparado com as outras fazendas avaliadas pela equipe de campo do projeto, a frequência na expressão desses comportamentos foi baixa na Fazenda GRAMADO.

Nesta propriedade, a agitação dos animais durante o manejo de ordenha não é caracterizada como problema de manejo. Como exemplos específicos, podemos ressaltar o animal 691 (ESCUSA DA GRAMADO), que foi a vaca com o maior número de passos (21) durante todas as avaliações, apesar da frequência de passos ser considerada alta comparada com outras fazendas acompanhadas nesse estudo, na condições ofertadas na fazenda GRAMADO esse animal não representou um problema de manejo. Nesta Fazenda, não foi observada a ocorrência de coices em nenhuma das oito avaliações realizadas.

Para compor o ranking de temperamento do rebanho GRAMADO foram excluídos os animais que obtiveram 3 ou menos avaliações de reatividade, ao longo de todo o período, devido a dificuldade de avaliar a consistência na expressão dessa característica.

Considerações finais

Levando em consideração os resultados preliminares obtidos até o presente momento, as vacas em lactação pertencentes ao rebanho da Fazenda GRAMADO são consideradas calmas/dóceis. Ao final do estudo, caracterizado pelo término das avaliações em todas as propriedades participantes do projeto, será possível estimar os parâmetros genéticos para a reatividade na ordenha, bem como as correlações genéticas com características de interesse econômico. Com isso, espera-se estimular a avaliação sistemática desta característica e promover a inclusão da reatividade na ordenha como um dos critérios de seleção nos rebanhos das raças Gir e Girolando.

Do ponto de vista prático, nossa recomendação a todos os produtores leiteiros com rebanhos Gir e Girolando é a adoção de um programa de Boas Práticas de Manejo, tanto na preparação de novilhas para a primeira ordenha quanto na rotina diária da ordenha, de forma a facilitar a adaptação das vacas aos manejos da fazenda. Para a boa condução destas ações é necessário treinar a equipe de colaboradores responsáveis pelo manejo, tornando-os capazes de compreender o comportamento dos animais e identificar as variações individuais dentro dos rebanhos.

Confira o relatório completo da avaliação clicado aqui.


Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.