Feijão no Paraná é devastado pelas fortes chuvas

Feijão no Paraná é devastado pelas fortes chuvas

feijao
Foto Divulgação.

As chuvas dos últimos dias decretaram perdas importantes com efeitos imediatos nos preços. Microrregiões do Paraná relatam devastação total de lavouras.

Feijão-carioca: Isso é mais grave do que as perdas de maio/junho de 2017, uma vez que as lavouras estão em outra fase. Produtores que haviam recebido ofertas por R$ 80 na semana do dia 18 ouviram ofertas de até R$ 95 no final da semana passada, no Paraná. Com uma área menor de plantio, na primeira safra a cada ano, somam-se as perdas por excesso de chuvas neste momento e não serão poucas.

O prejuízo dos produtores na Região Sul será totalmente avaliado nos próximos dias. Ao que tudo indica, neste cenário, quem tem produto nota 8 acima provavelmente encontrará compradores ávidos agora no início de janeiro. As apostas são de forte valorização já nos primeiros dias deste mês. As previsões dos meteorologistas não são animadoras. Entre hoje e dia 14 de janeiro, segundo os meteorologistas, somente durante três dias não choverá. Assim, as perdas poderão rapidamente ser ainda piores na Região Sul. As lavouras que começam a ser colhidas no Centro Oeste deverão encontrar facilidade de negociação.

Feijão-preto: A tendência de queda pode ser revertida nos próximos dias no Feijão-preto também. Diversos empacotadores vinham tomando o cuidado de diminuir estoques, na expectativa da colheita deste período. No entanto, é bem possível que o os produtores comecem a informar como estão as lavouras a partir de hoje.

Os levantamentos devem ser retomados a partir de hoje e deverão confirmar as informações que circulam nos grupos Clube Só Feijão do WhatsApp, que indicam sérias perdas. A movimentação dos empacotadores poderá inclusive se voltar para a Argentina. As referências deverão se formar durante o dia.

Fonte: IBRAFE