Ferramenta promete acasalamento perfeito entre vaca e touro

PARTILHAR
HerdOptimizer
Foto: Divulgação

HerdOptimizer determina por meio do DNA das vacas o potencial genético, informação que, casada com os dados genéticos dos touros, permite o acasalamento perfeito de animais

A genética bovina começa a entrar no terreno da precisão total. Assim, Flávio Moraes, gerente executivo de vendas da CRV, define o lançamento do HerdOptimizer, a última ferramenta de gestão genética apresentada pela empresa ao mercado brasileiro. “Com um único pelo da cauda da vaca, podemos avaliar o DNA do animal e, com suas informações em nosso banco de dados mundial, determinar com maior precisão as características do animal para a utilização ideal dos produtores em suas fazendas”, diz Moraes. “Combinando outras ferramentas de gestão com o HerdOptimizer, o produtor poderá ter o controle da gestão genética em suas mãos, desenhando um futuro personalizado para seu rebanho e suas vacas”, diz o gerente da CRV.

O HerdOptimizer está sendo comercializado desde junho e mais de 4.000 testes já foram vendidos, surpreendendo a CRV pela rápida aceitação do produto no mercado. O produtor envia o pelo da cauda da vaca para a CRV que, em seus laboratórios no Brasil, realiza as análises, produz com precisão a prova das vacas assim como as dos touros. “Hoje, o controle genético é centrado nos touros, mas com o HerdOptimizer, voltamos a atenção também para as vacas, ampliando a assertividade da gestão genética do rebanho pelo produtor”, explica Flávio Moraes.

“Determinar o DNA do animal não é novidade em termos biotecnológicos, mas inovamos na avaliação dos resultados, definição de uma estratégia e na indicação do acasalamento perfeito”, afirma Moares. Ele conta que a CRV possui outro programa, chamado SireMatch, um software que, com dados de pedigree, a classificação linear de 16 características e os dados da avaliação genômica do HerdOptimizer das fêmeas, gera as melhores indicações de touros do portifólio, indicando o acasalamento mais apropriado para cada fêmea, de acordo com o objetivo de seleção alinhado com as expectativas do produtor. “Essa combinação é inédita e potencialmente muito valiosa para o produtor, que terá muito mais segurança de conseguir o animal com as características que deseja, principalmente, as ligadas à saúde e eficiência do animal, uma especialidade da CRV.”

O avanço da gestão genética no gado de leite e de corte não para por aí. Há o programa iFert, que é um índice exclusivo da CRV capaz de predizer, com alta confiabilidade, a taxa de fertilidade de touros de corte em programas de inseminação artificial em tempo fixo. Ou seja, o iFert classifica os touros que emprenham acima da média. São mais de 1.000 touros avaliados, o que dá ao produtor ampla escolha de características genéticas transmissíveis de acordo com as prioridades de seleção. “Isso oferece um grau a mais de segurança para o produtor”, completa Flávio Moraes.

vaca lambendo cria
Foto: Instagram

Alternativas para o produtor não param de crescer

Apesar da tecnologia, a natureza continua sendo a natureza. Nem toda vaca emprenha na primeira ação de inseminação artificial. E algumas não conseguem emprenhar mesmo depois de duas ou três tentativas. “Uma vaca que não emprenha não gera bezerros, não produz leite, continua se alimentado e exigindo cuidados, ou seja, gera custos, mas não dá retorno”, resume Flávio Moares. Para muitos produtores, a saída é o descarte da matriz, mas para esses casos a CRV oferece o programa BEEFERT. “Ao invés de inseminar uma vaca holandesa com sêmen Holandês, usa-se o sêmen da raça Angus, que tem uma taxa de fertilidade maior”, sintetiza o gerente da CRV. “Caso a vaca emprenhe com essa alternativa, o produtor pode então comercializar a cria para uma operação de corte com maior valor agregado e colocar a vaca na rotina da ordenha, aproveitando o potencial da matriz na produção de leite.”

Empresa com 50 anos de atividades no setor, a CRV vem aumentando suas vendas em torno de 40% este ano. O ano de 2021 caminha para ser o melhor da história da empresa no Brasil. Isso se deve ao crescimento do próprio mercado e a CRV aproveitou o momento positivo para introduzir inovações, como o HerdOptimizer, e potencializar as vendas de sistemas como SireMatch e iFert, que já estavam no mercado há mais tempo. Além disso, a empresa renovou e ampliou seu portfólio de touros de corte e leite. A Bela Vista, que faz parte do grupo CRV no Brasil, está com mais de 800 touros em sua central de coleta, em Botucatu, um recorde.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.