Frigorífico na Bahia abate jumentos para exportação

Frigorífico na Bahia abate jumentos para exportação

jumento
Foto: Divulgação

Carne será exportada para China; intenção é exportar também couro do animal.

Um frigorífico de Amargosa começou nesta quarta-feira (26) o abate de jumentos na cidade. O Frinordeste gera 150 empregos diretos e 270 indiretos, segundo o governo do estado. A expectativa é de que 300 toneladas de carne por mês sejam produzidas e exportadas para o mercado asiático.

Os 420 empregos gerados são resultado concreto da viagem que fizemos à China em março de 2016. Retornaremos ao país asiático ainda este ano com o objetivo de confirmar investimentos de grande porte, que vão gerar ainda mais empregos e desenvolvimento para o nosso estado”, explica o governador Rui Costa.

frigorifico-baiano
Foto: Divulgação

Sócio da empresa, Mairton Souza explica que o frigorífico será dedicado exclusivamente para esse tipo d carne. “Para conhecer o mercado, nós iniciamos o abate, de forma experimental, no frigorífico da Chapada Diamantina (FrigoCezar), em Miguel Calmon. A partir desse teste, nós destinamos um frigorífico apenas para este tipo de abate”, diz.

Além da carne, a intenção é de que o couro do animal também seja exportado para indústrias de cosméticos e farmecêuticos.

O projeto vai desde a compra de jumentos de pequenos produtores rurais para procriação pela empresa, incluindo melhoramento genético a partir de animais que vêm da China.

Nordeste tenta diminuir número de jegues soltos nas estradas

O lombo do jumento perdeu espaço no Nordeste para motos e máquinas agrícolas. A frota de duas rodas no Brasil cresceu quase 600% desde 2003: 1,2 milhão para 6,9 milhões de veículos. Sem utilidade, o bicho foi sendo abandonado. Passou a circular solto em estradas, agravando o problema dos acidentes na região, que concentra 90% dos asininos (que incluem ainda burros e mulas) do Brasil.

Não há estatísticas precisas sobre acidentes com jumentos no Nordeste. Os dados são organizados como “acidentes com animais”, mas a Polícia Rodoviária Federal (PRF) assegura que a maioria envolve asininos. Somente nas estradas federais que cortam a região houve 8.050 ocorrências com bichos de 2012 a agosto deste ano, com 1.647 feridos graves e 259 mortes. E desde 2015 foram mais de 27 mil apreensões de animais.

Fonte  Correio 24 horas IG