Governo está privilegiando a JBS e Minerva, diz Abrafrigo

Governo está privilegiando a JBS e Minerva, diz Abrafrigo

PARTILHAR
Carne com selo de qualidade Nelore 3
Foto Divulgação

Segundo a entidade, das 24 plantas aprovadas 16 são de grandes exportadores que já vendem para o mercado chinês. Entidade emite nota contra atitude do Governo.

A Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) divulgou nota criticando a nova lista de 24 frigoríficos a serem habilitados para exportar carne bovina para a China. A lista deve ser entregue pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante visita em meados deste mês.

A Abrafrigo afirmou a escolha do governo privilegia grandes frigoríficos como o Minerva e o JBS que já exportam para a China, “concentrando ainda mais o mercado de exportação”.

A entidade protestou contra a inclusão de um critério que nunca foi observado antes nas vendas para a China: a exigência de que as novas plantas também estejam habilitadas a exportar para a União Europeia.

Péricles Salazar, presidente da Abrafrigo, considerou “a nova exigência muito estranha, porque não consta do Protocolo existente entre o governo brasileiro e o governo chinês para a habilitação de exportadores.

Segundo ele, das 24 plantas aprovadas pelo Ministério da Agricultura 16 são de grandes exportadores que já vendem para o mercado chinês como a JBS e o Minerva”. A JBS já possui seis plantas habilitadas e pela nova lista terá mais seis.

Na opinião do dirigente o novo critério “contraria frontalmente o discurso do governo, de que democratizaria e criaria maiores oportunidades para empresas de médio porte exportarem para a China”. Estados que são importantes produtores como Tocantins, Goiás, Rondônia, Bahia, Mato Grosso do Sul e Pará ficam sem sequer um representante nestas exportações, diz ele.

A Abrafrigo contesta “veementemente esta situação e roga ao Ministério da Agricultura que priorize os frigoríficos que foram auditados, ainda não habilitados e outros que estavam aguardando mediante o critério de amostragem que vigorou até agora e alterado pela exigência do critério de um padrão União Europeia que não consta do Protocolo Brasil-China”.

A Abrafrigo diz que a alteração prejudica empresas que fizeram grandes investimentos para se prepararem para a auditoria chinesa. Para a entidade, “caso exista realmente a necessidade de se utilizar do critério do Padrão UE para as novas plantas, então que se habilitem empresas que possuem este padrão, mas que ainda não exportam para a China, evitando a concentração daquele mercado num número muito pequeno de empresas de grande porte”.

SIAL

No dia 14 de maio, a ministra Tereza Cristina participa da abertura oficial da feira Sial, inaugurando o pavilhão brasileiro organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) com a participação de cerca de 50 empresas.

No pavilhão destinado à proteína animal, a ministra e sua comitiva deverão almoçar comida preparada com produtos brasileiros. Nos dias 15 e 16, em Pequim, a ministra brasileira terá encontros bilaterais com autoridades da área sanitária, para discutir temas agrícolas de interesse do Brasil, além de uma agenda com universidades chinesas.

Na próxima semana a ministra inicia viagem ao continente asiático, com agendas no Japão, China, Vietnã e Indonésia, para uma série de encontros com autoridades e investidores estrangeiros. A comitiva chegará a Tóquio no dia 9 e retornará ao Brasil dia 21 de maio.

Fonte: Globo Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com