Governo lança campanha para melhorar imagem do Brasil no exterior

Governo lança campanha para melhorar imagem do Brasil no exterior

PARTILHAR

Com nome de “Brazil by Brasil”, materiais terão como foco o meio ambiente e agronegócio; publicação do primeiro vídeo acontece quase às vésperas do discurso de Bolsonaro na ONU.

O governo federal lançou neste fim de semana uma campanha publicitária para reverter a imagem do Brasil no exterior, devido às recentes queimadas na Amazônia. A divulgação do primeiro vídeo acontece quase às vésperas do discurso do presidente Jair Bolsonaro, que falará na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na terça-feira, 24.

Com nome de “Brazil by Brasil”, a peça publicitária terá como foco a disseminação de informações nas redes sociais, mas também em veículos de TV e rádio tanto no Brasil como nos Estados Unidos e em países europeus. Eles estarão traduzidos em diversos idiomas. Confira aqui o site criado pelo governo.

Primeiro vídeo divulgado enfatiza que Brasil alimenta 1,2 bilhão de pessoas e usa só 7,8% das suas terras com lavouras

“Será uma campanha permanente, sem data pra acabar. Nossos leads serão meio ambiente e agronegócio. Mapeamos notícias negativas sobre o Brasil no mundo todo, inclusive em redes sociais, continuaremos a monitorar este noticiário que não corresponde à realidade e vamos combatê-lo diretamente”, disse o secretário de Publicidade do governo, Glen Valente, na Comissão de Agricultura no início do mês.

Os materiais destacam que o Brasil é o único país do mundo que tem um Código Florestal (Lei 12.651) e que o agronegócio brasileiro alimenta 1,2 bilhão de pessoas no mundo todo, explorando apenas 7,8% do seu território. Outros temas também são tratados, e nações fora do eixo Europa-EUA receberão o material da mesma forma, de acordo com o monitoramento permanente que o governo vai realizar.

Guerra da comunicação

O diretor de Promoção do Agronegócio no Itamaraty, Alexandre Ghislene, considera muito importante que diversos setores do governo estejam engajados na estratégia unificada de comunicação internacional. Para ele, o esforço veio para ficar, pois a percepção mundial é de que o agronegócio brasileiro representa uma ameaça a produtores locais, o que fortalece a pauta protecionista de outros países que absorvem notícias negativas sobre o Brasil.

A presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado, Soraya Thronicke (PSL-MS), também considera primordial que o governo priorize a propaganda internacional, pois boicotes já vêm sendo feitos contra nossos produtos.

“Estamos perdendo a guerra da informação para movimentos articulados que têm interesse em nos prejudicar. Só que estudos da Nasa provam que preservamos 66% de nosso território, usando só 7,6% na produção. Enquanto isso, países da União Europeia (UE) usam até 65% do seu território, a Índia usa 60,5%, os EUA usam 18,3% e a China, 17,7%”, argumenta.

Fonte: Agência Câmara


Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com