Importações de lácteos disparam em outubro

Importações de lácteos disparam em outubro

PARTILHAR
Produtores descartam leite na rodovia MG-050 em Passos (MG) (Foto: Graziela Fávaro/EPTV)

Após dois meses consecutivos em queda, as importações brasileiras de lácteos, em equivalente leite, aumentaram 64,8% de setembro para outubro, somando 154 milhões de litros.

Frente ao mesmo período do ano passado, as compras externas de produtos cresceram 114%. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o principal derivado lácteo importado foi o leite em pó, totalizando 127 milhões de litros.

A Argentina liderou as vendas ao Brasil, com 76 milhões de litros e participação de 60% no total importado pelo país. O preço médio do leite em pó importado da Argentina em outubro foi de US$ 2,82 o quilo, valor estável frente ao de setembro.

No Brasil, o valor médio do leite em pó, calculado pelo Cepea, ficou em US$ 4,67 por quilo em outubro.

O queijo, apesar do recuo de 12,8% frente ao volume adquirido em setembro, foi o segundo produto mais importado pelo Brasil em outubro, somando 25 mil litros. A participação do queijo nas aquisições totais de derivados em outubro foi de 16,2%.

Frente ao mesmo período do ano passado, as compras externas de produtos cresceram 114%

A Argentina também foi a principal vendedora do produto, com participação de 68,6% nas importações brasileiras, que somaram 17 milhões de litros.

Exportações

As exportações brasileiras de leite, por sua vez, recuaram 48,7% em relação ao mês de setembro, registrando 5 milhões de litros em volume e US$ 4 milhões em receita. Em relação ao mesmo período do ano passado, os embarques de produtos lácteos diminuíram 27,8%.

O queijo continua sendo o derivado mais exportado pelo Brasil, com 48,7% de participação no total das vendas ao mercado externo, o que corresponde a 2 milhões de litros. A Rússia ocupa o primeiro lugar nas compras do queijo brasileiro, com participação de 28,2% no total, ou 703 mil litros.

O segundo derivado brasileiro mais demandado pelo mercado internacional foi o leite condensado, com 33% de participação no total exportado pelo país em outubro, ou 1 milhão de litros em equivalente leite.

Assim, o déficit da balança comercial aumentou 55% de setembro para outubro, fechando com saldo negativo de US$ 53,5 milhões. Em volume, o déficit foi de 149 milhões de litros em equivalente leite em outubro, 78,2% maior que o de setembro.

Tristeza: Mais de 500 família deixam a atividade

Com informações do CEPEA.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com