JBS cancela escalas por tempo indeterminado em MS

JBS cancela escalas por tempo indeterminado em MS

PARTILHAR
jbs-logo
Foto: Divulgação

JBS alega insegurança jurídica e divulga paralisação de sete frigoríficos, empresa divulgou que funcionários vão receber salários

As sete unidades frigoríficas da JBS em Mato Grosso do Sul vão paralisar operações a partir de amanhã, diante da insegurança jurídica criada pelos bloqueios de recursos da empresa, que somam R$ 730 milhões só no Estado.

A empresa teve o valor bloqueado judicial a pedido da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Irregularidades Fiscais de Tributárias, conduzida por deputados da Assembleia Legislativa.

A informação foi confirmada em nota da assessoria de imprensa do grupo.

Segundo a nota, os funcionários continuarão recebendo os salários, mesmo que a paralisação, por enquanto, é por tempo indeterminado.

“A JBS informa que, em função da insegurança jurídica instalada em Mato Grosso do Sul, suas sete unidades de carne bovina no Estado estão com as atividades de compra e abate paralisadas por tempo indeterminado. Os colaboradores continuarão recebendo seus salários normalmente até que a companhia tenha uma definição sobre o tema. A JBS esclarece que está empenhando seus melhores esforços para a manutenção da normalidade das suas operações e trabalha para proteger seus 15 mil colaboradores diretos e 60 mil indiretos em Mato Grosso do Sul”, informou a nota.

O produtor rural, e ex-presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Francisco Maia, também confirmou ter recebido a notícia da diretoria do grupo em São Paulo.

“Eles comunicaram que vão cumprir todos os compromissos com os produtores rurais e pagamentos de bovinos já firmados, mas que a partir de amanhã suspendem as compras e também os abates no Estado”, enfatizou.

Conforme Maia, a “companhia alega que não pode trabalhar nesta instabilidade jurídica criada a partir das decisões de 1º instância na Justiça estadual que determinaram o bloqueio de recursos da empresa sem respeitar o acordo de leniência feito nacionalmente.

Maia destaca ainda que o grupo afirma que está impossível trabalhar no Estado, depois dos pedidos da CPI de bloqueio de bens.

Com informações do Correio do Estado

-- conteúdo relacionado --
Embrapa: Como aumentar rentabilidade do seu rebanh... A Embrapa criou um canal para conectar o produtor com as novidades da Pecuária. Ao acessar e se cadastrar você receberá  informações sobre manejo de p...
Agronegócio brasileiro atingirá 535 bilhões em 201... O valor, calculado com base nas informações de julho, é 4,5% maior do obtido no mesmo mês em 2016, de R$ 512,5 bilhões. O Valor Bruto da Produção Agr...

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com