JBS já cadastra pecuaristas em plataforma para monitorar cadeia da carne na...

JBS já cadastra pecuaristas em plataforma para monitorar cadeia da carne na Amazônia

PARTILHAR
pecuaria amazonia Gado em Rondônia
Foto: Gabriel Pupo Nogueira / Embrapa

Na plataforma Pecuária Transparente, os fornecedores que vendem gado diretamente para a JBS informarão a lista de seus próprios fornecedores de animais.

A JBS já está cadastrando fornecedores de gado em sua plataforma de monitoramento da cadeia de produção de bovinos na Amazônia, recém-criada. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia afirmou que espera encerrar o ano com o cadastro de pecuaristas que movimentam 1 milhão de animais.

Na plataforma Pecuária Transparente, os fornecedores que vendem gado diretamente para a JBS informarão a lista de seus próprios fornecedores de animais. Um sistema criado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) verificará se a lista está completa.

A partir das informações, empresas credenciadas, como a Agrotools, cruzarão dados para verificar se algum fornecedor da cadeia está relacionado a desmatamento vetado pelo Código Florestal, a invasões de terras indígenas ou unidades de conservação, a trabalho análogo à escravidão ou à ocupação de áreas embargadas pelo Ibama.

O resultado será enviado ao próprio fornecedor direto. Segundo a JBS, com essas informações, o produtor “poderá desenvolver planos para mitigar riscos e implementar ações para ajudar os produtores a regularizar as situações quando necessário”. A plataforma utiliza tecnologia blockchain, que impede que dados sensíveis estejam ao alcance da JBS. A empresa terá acesso apenas a informações socioambientais.

O cadastro na plataforma é voluntário, mas a adesão ao monitoramento é crucial para que a JBS alcance suas metas de eliminação de desmatamento e neutralização de emissões de carbono. A companhia tem a meta de conseguir a adesão de todos os fornecedores ao programa até 2025, ano em que ela espera também eliminar de sua cadeia – incluindo os fornecedores indiretos – o desmatamento ilegal na Amazônia. Também faz parte da estratégia o desenvolvimento de um cadastro positivo de produtores que estão em conformidade com as regras socioambientais.

No comunicado, a empresa anunciou ainda o lançamento de 13 “Escritórios Verdes”. Eles serão instalados em unidades de processamento no Brasil e ajudarão os pecuaristas na regularização ambiental

Fonte: Valor Econômico.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com