Leite é considerado de alta densidade nutricional e rico em cálcio

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Excesso de chuvas prejudicam pastagens de gado leiteiro e preço pago ao produtor registram quatro meses consecutivos de alta nos preços

O leite é um dos alimentos mais consumidos da atualidade e divide opiniões de profissionais de saúde. Todavia, o alimento é considerado de alta densidade nutricional e importante na alimentação por causa da quantidade de cálcio. A presidente da Sociedade Paulista de Infectologia, Thaís Guimarães, afirma que quem costuma comprar o leite no supermercado não tem motivo para se preocupar. Segundo ela, “as indústrias pasteurizam a bebida, ou seja, submetem-na a uma alta temperatura e depois a resfriam rapidamente, o que mata os micro-organismos”, explica.

Nutriente mais benéfico do leite e também muito celebrado por seus defensores, o cálcio é encontrado de forma concentrada na bebida. Cada copo de leite tem 240 miligramas do mineral. Normalmente, adultos precisam consumir 1 mil miligramas de cálcio por dia para a manutenção da massa óssea.

A diretora do Departamento de Nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Marcia Gowdak, afirma que, em geral, a população consome 400 miligramas de cálcio por dia, o que está bem abaixo do ideal. A absorção do cálcio por outros alimentos não é a mesma, afirma a especialista. Marcia Gowdak diz que o índice de absorção proporcionado pela bebida é de 30%, enquanto que o do brócolis e da couve, por exemplo, é de 5%. No caso dos vegetais, é a fibra que diminui muito a capacidade de absorção de cálcio.

Até agora, quem melhor desempenha o papel de substituto é o leite de soja. Segundo Marcia, há uma série de opções no mercado com a mesma quantidade de cálcio do que o leite de vaca – e que proporcionam a mesma absorção do nutriente pelo organismo. A nutricionista Melissa Diniz considera que é possível fazer equilíbrio de cálcio com sementes oleaginosas (castanha-do-pará, macadâmia, nozes e gergelim), grãos integrais e verdes folhosos (couve, rúcula e espinafre).

Em resumo, o leite tem alta concentração de cálcio, dificilmente encontrada na mesma proporção em outros alimentos; tem alta densidade nutricional: mais nutrientes do que calorias; a gordura do leite aumenta o colesterol bom; é benéfico para hipertensos; produz saciedade; a versão semidesnatada é recomendada para quem quer perder peso; a versão integral ajuda na absorção da vitamina D.

Preço

O preço do leite pago ao produtor teve novo aumento no comparativo mensal, no pagamento realizado em junho, que remunera a produção entregue em maio. São quatro meses consecutivos de altas nos preços. Considerando a média nacional, a alta foi de 7,2% na comparação mensal. Na comparação anual a referência está 17,7% maior este ano. Em maio/22, o volume de leite captado (média nacional) caiu 0,5% em relação a abril, com os custos de produção aumentando, pastagens de baixa qualidade no Brasil Central e alguns locais relataram chuvas intensas, dificultando a captação. Para junho/22 (dados parciais) é estimada queda de 0,2% na média nacional, em comparação a maio/22.

Chuvas

A previsão de muita chuva no Rio Grande do Sul colocou os criadores de gado leiteiro em alerta. Isso porque as chuvas em excesso prejudicam as pastagens, que ainda estão se recuperando da estiagem que ocorreu na região nos primeiros meses do ano. A falta de luz solar somada ao excesso de água dificulta a entrada das máquinas para semeadura e manutenção dos pastos.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com