Maior confinamento de carne sob demanda brasileiro fica em Goiás

Maior confinamento de carne sob demanda brasileiro fica em Goiás

PARTILHAR
Foto: Portal DBO

Angus a perder de vista.

Maior projeto brasileiro de produção de carne sob demanda. Só de meio sangue Angus são 40 mil novilhos e novilhas por ano, além de 80 mil animais para dois programas de carne Nelore.

Vistos de cima, currais lotados de bovinos com pelame negro formam um bloco quase indivisível, que surpreende olhos acostumados ao império branco dos zebuínos. São 134 currais com capacidade estática para 20.000 cabeças, de onde saem, anualmente, 40.000 novilhos meio-sangue Angus, enviados ao frigorífico para abate em frações de 800 cabeças semanais. As instalações fazem parte do maior projeto de carne gourmet do País, idealizado pelo Grupo JBJ, iniciais do empresário José Batista Júnior, mais conhecido como Júnior Friboi, que deixou a J&F Investimentos, holding detentora da JBS, em 2012, para conduzir negócios próprios. O “mar” de pelames negros fica na Fazenda Floresta, de 3.931 ha, localizada em Nazário, 71 km a oeste de Goiânia, GO. Suas carcaças padronizadas têm destino certo: as mesas dos mais exigentes restaurantes nacionais, cujos clientes se dispõem a pagar caro por cortes nobres com garantia de qualidade.

O projeto tem apenas dois anos, mas já se encontra totalmente estruturado, com confinamento moderno, área para processamento de esterco e um sistema inteligente de recepção de bezerros, que permite aclimatá-los por dois meses antes que entrem nos currais de engorda. É isso mesmo: os 40.000 Angus saem direto do pé da mãe para a Fazenda Floresta, sendo confinados por 182 dias e abatidos com média de 17,5@ aos 16 meses. Outros projetos pelo Brasil adotam essa estratégia, mas não em escala tão grande, nem com protocolos tão rígidos de produção, que incluem genética importada, suplementação dos bezerros em creep feeding, controle preventivo de doenças respiratórias, castração pós-desmame, pré-acondicionamento à engorda intensiva e dieta estandardizada, com ingredientes fixos. Tudo isso visando à obtenção de bovinos homogêneos, jovens, sadios, com acabamento de gordura uniforme (6 a 10 mm) e o famoso marmoreio, que dá mais sabor à carne.

Produção dirigida

Metade dos 40.000 animais cruzados confinados na Fazenda Floresta é fornecida por pecuaristas-parceiros (todos de Goiás) e metade é de produção própria. Quando deixou a J&F Investimentos, Júnior recebeu em troca de suas ações um montante não revelado em dinheiro, três confinamentos e quatro fazendas de cria, que pertenciam à companhia e eram administradas por seu pai, José Batista Sobrinho, o Zé Mineiro, em sistema convencional. Com o dinheiro, Júnior comprou mais terras, entrou no ramo imobiliário e arrematou o frigorífico Mataboi, de Minas Gerais, reunindo todos esses negócios na JBJ Holding, dentro da qual se encontra a JBJ Agropecuária, dirigida por seu filho Fabrício de Oliveira Batista. Essa empresa hoje detém seis propriedades especializadas na produção de bezerros: duas em Goiás (municípios de Posse e Iaciara); três no Tocantins (municípios de Dueré, Cariri e Figueirópolis) e uma em Castilho, São Paulo. Juntas, somam 55.000 ha.

Por: Maristela Franco
Fonte: Portal DBO