Mapa apoia adesão de São Paulo ao Sisbi-POA

PARTILHAR
Foto: Divulgação

O secretário estadual de Agricultura, Itamar Borges, relatou que as exigências estão sendo cumpridas e que o apoio da Superintendência Federal de Agricultura de São Paulo (SFA-SP) tem sido importante.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) repassou nesta sexta-feira (5) orientações para a equipe de defesa sanitária do estado de São Paulo sobre adesão ao Sisbi-POA (Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal) e o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA).  O estado tem trabalhado para agilizar as duas frentes sejam agilizadas. A reunião ocorreu na Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo e teve a participação do secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal.

A partir da obtenção da equivalência ao Sisbi-POA, produtos como mel, ovos, leite, carne e derivados inspecionados pelo Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Estado de São Paulo (Sisp) poderão ser vendidos em qualquer estado da Federação. O secretário estadual de Agricultura, Itamar Borges, relatou que as exigências estão sendo cumpridas e que o apoio da Superintendência Federal de Agricultura de São Paulo (SFA-SP) tem sido importante.

“A adesão de São Paulo ao Sisbi-POA é estratégica”, afirmou o secretário José Guilherme Leal.

A superintendente Andréa Moura informou que os servidores prestarão todo o suporte necessário, já que a adesão estadual ao Sisbi-POA é uma demanda relevante do setor produtivo.

Febre Aftosa

O secretário estadual Itamar Borges também destacou o empenho no avanço do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA). A estratégia do programa é a implantação progressiva e manutenção de zonas livres da doença, de acordo com as diretrizes estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

O coordenador de Defesa Agropecuária (CDA) da secretaria estadual, Luís Fernando Bianco, apresentou o investimento feito recentemente para que a vacinação seja encerrada. O estado adquiriu veículos, está contratando pessoal administrativo para liberar técnicos para o trabalho de campo, prepara o plano de ação exigido e articula a criação do fundo privado para manutenção do status.

Atualmente, o estado é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação.

“O estado de São Paulo tem avançado bastante no aprimoramento das ações de defesa agropecuária e vamos continuar oferecendo suporte para que todas as exigências da OIE sejam cumpridas”, disse a superintendente Andréa Moura.

O Mapa tem acompanhado toda a mobilização dos estados que pretendem ascender ao status de “livre de aftosa sem vacinação”. “Não podemos errar. Ao solicitar a mudança de status à OIE toda a estrutura e documentação não podem ser contestadas”, explicou o diretor do Departamento de Saúde Animal e Insumos Pecuários do Mapa, Geraldo Marcos de Moraes.

Segundo ele, em caso de não aprovação, o estado pode ser penalizado com a volta da vacinação obrigatória em três meses.

Além das autoridades citadas acima, participaram da reunião Danilo Tadashi Kamimura e Celso Torres, da SFA-SP; Francisco Matturro, secretário executivo da SAA; Ricardo Lorenzini, chefe de gabinete da SAA; Ariel Mendes, assessor institucional da SAA; Bruno Bérgamo, Willian Alves Correa, Fernando Buchala, Wander Dias e Adriano Macedo Debiazzi, todos da CDA.

Fonte: MAPA

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR